Tribunal do Crime: PCC condena à pena de morte membros da facção no DF

MEI e Autônomo se aposentam apenas com um salário mínimo, entenda como funciona


Homem é agredido por policiais militares durante blitz em Guaraciaba do Norte


Depois de sete anos, cúpula do PCC volta a se encontrar


'Pegou no meu cabelo e saiu puxando', diz catadora de sucata espancada em Serrana, SP

INSS: Dois milhões de aposentados e pensionistas podem ter o pagamento bloqueado a partir de segunda-feira


Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação

Empréstimo para MEI com nome sujo: Veja se é possível e como funciona

Bolsonaro inseriu na reforma da Previdência proposta para cancelar CNPJ de devedores

Dupla rouba R$ 8 mil de casal em Jacarezinho

Mais um vídeo viraliza nas redes sociais onde um suposto integrante do PCC exibe fuzis em Rondônia

Governo apresenta proposta para punir grandes devedores da previdência

Proposta desidratada pode gerar insatisfação na tropa, diz general

Desemprego? Confira cinco ações que podem te ajudar

Seu MEI pode ser cancelado: Conheça situações que colocam seu CNPJ em risco

Servidores recebem treinamento para aplicar teste rápido do HIV em presos

CPS avalia competências técnicas e socioemocionais de estudantes


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 25/03/2019

Especialista alerta que crianças também podem ser acometidas pela hanseníase



Líder do PCC, Marcola, será transferido para a Papuda, em Brasília

Líder do PCC, Marcola, será transferido para a Papuda, em Brasília

CORREIO BRAZILIENSE






Marcos Camacho, o Marcola, considerado o líder da facção criminosa PCC

(foto: Paulo Liebert/AE)


Ele será trazido a capital pela PF e ficará no presídio federal da Fazenda Papuda. Esquema de segurança no entorno do presídio é reforçado


O Ministério da Justiça decidiu transferir Marcos Willians Herbas Camacho, conhecido como Marcola, para o presídio federal da Fazenda Papuda, em Brasília, nesta sexta-feira (22/3). Ele é apontado pelas autoridades como líder do Primeiro Comando Capital (PCC). Marcola está se deslocando de Porto Velho em um jato da Polícia Federal. A previsão de chegada em Brasília é às 13h.

A transferência de traficantes que lideram a organização criminosa ocorre por conta do esquema de rodízio adotado pelo governo. A intenção é impedir que os chefes das facções deem ordens para que sejam realizados ataques por quem está do lado de fora das prisões.
 
Em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que o deslocamento dos presos foi feito pela Força Aérea Brasileira. E que policiais federais e do Depen, além de batedores e helicóptero da Polícia Rodoviária Federal integram o esquema de segurança. Além disso, a Força Nacional de Segurança Pública reforçará a proteção do perímetro das áreas que contornam a Penitenciária Federal de Brasília.

No mesmo dia em que a transferência de Marcola para o DF é anunciada, a Polícia Civil e Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) fazem uma operação que prende integrantes de facções criminosas acusadas de atuar dentro do presídio, em Brasília.   

Primeira operação

A primeira operação coordenada pela Seopi, secretaria criada na atual gestão do Ministério da Justiça, ocorreu no dia 13 de fevereiro. A operação integrada entre o Governo Federal e o Governo do Estado de São Paulo, resultou na inclusão de 22 presos no Sistema Penitenciário Federal. Na ocasião, os líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), custodiados em São Paulo, foram transferidos com a escolta do Depen e da Polícia Militar de São Paulo para penitenciárias federais.


CORREIO BRAZILIENSE

Colocar no xilindró a alta casta da bandidagem do país não é motivo para “vergonha”


MPF identifica empresas usadas para lavar dinheiro do BRB

Sob ameaça de ataque, faculdades suspendem atividade em Franca (SP)


PCDF apreende adolescentes que ameaçaram ataques em escolas