Encontro define ações para encaminhamento de andarilhos



Encontro define ações para encaminhamento de andarilhos


Encontro entre representantes de lojistas, da Polícia Militar, Câmara Municipal e Secretaria da Assistência Social de Ourinhos definiu ações para o encaminhamento assistencial de andarilhos que aproveitam o movimento do centro da cidade para pedir esmolas ou alimentos.
A reunião ocorreu terça-feira (17) na sede da ACE (Associação Comercial e Empresarial) e expôs o descontentamento do setor comercial com os moradores de rua. A principal crítica é que, mesmo tendo o direito de ir e vir, alguns andarilhos abordam de forma ofensiva a população, além de utilizar praças públicas como moradia e banheiro.
Para tentar solucionar a questão, por determinação do Prefeito Lucas Pocay, a Secretaria de Assistência Social apresentou cinco propostas, sendoque quatro já estão sendo aplicadas e uma depende de acordo entre a Polícia Militar e o Município. Os participantes do encontro foram unânimes em concordar que oferecer esmolas estimula a permanência dos moradores de rua. Portanto, uma campanha será lançada para desestimular o ato de dar dinheiro ou comida e também para acionar a Assistência Social para o encaminhamento dos andarilhos.
Em uma das propostas ficou definido que a ACE vai divulgar a campanha contra esmolas e com o contato do Centro Pop, responsável pelo acolhimento dos andarilhos. Outra diz respeito à melhoria dos serviços prestados pela Secretaria de Assistência Social referentes ao atendimento, contato e emissão de passagens. A Polícia Militar se comprometeu a intensificar as rondas na Rodoviária, imediações do Centro Pop e demais locais de aglomeração de andarilhos. E a AMO-SIM, entidade responsável pela Zona Azul de Ourinhos, será acionada para apoiar a campanha contra esmolas, divulgando a ação nos talões de estacionamento.
O que ainda precisa ser definido é o retorno do projeto Atividade Delegada, um convênio entre a corporação da Polícia Militar e Prefeitura, que atendia ocorrências relacionadas a moradores de rua em pontos críticos de Ourinhos. A proposta foi enviada ao prefeito Lucas Pocay que já sinalizou positivamente com a possibilidade do serviço voltar a ser realizado na rodoviária, cemitério e Recanto dos Pássaros 3.
Participaram do encontro Renata de Campos (Centro Pop); Fernanda de Campos e Kamila Jamil (Núcleo de Atendimento à Infância, Adolescente e Adulto); Alexandre Mariani, José Carlos Pereira, Diogenes Leite e Antonio Moreira (ACE); os comerciantes Priscila Castanha, Rosinei Ikuma, Freanes Leite, Robson Martuchi e Arnaldo Vieira; o Secretário da Assistência Social Felipe Ramos e seu adjunto José Roberto Tasca; o Policial Militar Denilson Corrêa; e os vereadores Eder Mota e Anísio Felicetti.
O vereador Eder Mota informou na reunião que outro local de concentração de andarilhos é a Praça de academia da saúde da Vila São Luiz. Ele se propôs a fazer um levantamento dos problemas existentes no local para ajudar na campanha contra as esmolas e encaminhamento social dos moradores de rua.

Após abordagem social, 41 andarilhos deixam as ruas

Levantamento da Secretaria Municipal de Assistência Social revela que 41 pessoas que viviam como moradores de rua recuperaram o vínculo familiar ou largaram os vícios em drogas e álcool e hoje levam uma vida nova. O Secretário da Assistência Social, Felipe Pereira Ramos diz que o trabalho do município é fundamental para mudar a situação dessas pessoas, mas é preciso apoio da sociedade. Um dos fatores, por exemplo, que incentivam a permanência nas ruas é o ato de dar esmolas. 
“Nós precisamos ter consciência de que dar esmola não resolve o problema. Muitas pessoas só se mantêm nas ruas porque conseguem dinheiro pedindo esmola. E esse não é o caminho. Nós temos percebido que por mais que se faça campanha, ainda sim, as pessoas não desistem de pedir. Então quem tem que se conscientizar é a população”, diz Felipe, ressaltando que a forma correta de lidar com moradores de rua é encaminhar ao Centro Pop. “É só entrar em contato com o Centro Pop e solicitar a abordagem dessa pessoa em situação de rua”.
O telefone do Centro Pop é o 3326-5348. Após o cidadão informar o local onde o morador de rua está, uma equipe é deslocada para o primeiro atendimento.
Foi em uma dessas abordagens que Nelson Desidero Neto, 34 anos, deixou a vida nas ruas, conseguiu emprego e hoje vive com a família. Levado ao Centro Pop, abandonou o álcool, iniciou um curso profissionalizante e agora auxilia outras pessoas em situação de rua a dar a volta por cima.
"Eu morei nas ruas por mais de dois anos. Morava com meu padrinho e como não conseguia trabalho resolvi ir para a rua. Após tratamento abandonei o álcool, consegui emprego de pintor e retomei o convívio com a família. Hoje moro com meu padrinho de novo. O acolhimento do Centro Pop foi fundamental, mas é preciso ter força de vontade para mudar de vida", conta Nelson.
Para que os casos de recuperação, como o de Nelson, sejam recorrentes, a Secretaria da Assistência Social desenvolve um projeto solicitado pelo prefeito Lucas Pocay de mapear pessoas em situação de rua através de um Serviço de Vigilância e Monitoramento.
“Isso vai dar um relatório completo. É uma central de compilamento de dados onde todas as pessoas que foram abordadas, que receberam atendimento ou até acolhimento terão seus dados registrados e acompanhados”, explica o secretário.

O Centro Pop funciona na Vila São Luiz e atualmente atende cerca de 32 moradores de rua por dia, oferecendo alimentação, serviços de higiene e de regularização de documentos.

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.