Mesmo após abuso de três alunas menores, professor recebe carta de recomendação




Mesmo após abuso de três alunas menores, professor recebe carta de recomendação

Por iG São Paulo | 27/01/2017
O professor e vice-reitor Jonathan Norbury manteve um relacionamento sexual com uma das garotas durante dois anos
Reprodução/Twitter
O professor e vice-reitor Jonathan Norbury manteve um relacionamento sexual com uma das garotas durante dois anos

Britânico passou por julgamento por seus crimes e foi considerado inocente porque as meninas já "tinham idade para consentir legalmente" os atos

Um vice-reitor foi acusado de manter relações sexuais com três meninas de idades entre 15 e 18 anos enquanto trabalhava como professor em escola primária em Swansea, no Reino Unido. Segundo o “Daily Mail”, Jonathan Norbury, de 35 anos, mandava mensagens flertando com as meninas para seduzi-las.
A primeira garota, registrada apenas como ‘garota A’, afirmou que seu caso com o professor começou aos 15 anos. Tudo teve início com a troca de mensagens, mas logo evoluiu. “Nós estacionávamos o carro dele em algum lugar, nenhum lugar específico, e então nos beijávamos”, disse em depoimento.
Norbury esperou até que a menina completasse 16 anos – a idade de consenso no Reino Unido – e, então, tirou a virgindade da garota. “Ele colocava suas mãos embaixo das minhas roupas. Quando eu fiz 16 anos nós transamos pela primeira vez. Foi na casa dos pais dele. Ele fez tudo porque finalmente podia”, completou.
O abuso à menina durou dois anos, conforme a vítima afirmou em audiência do Conselho de Educação de Cardiff. Ela também confirmou que foi durante este tempo que o homem começou a trocar mensagens com as outras duas adolescentes.
“Ele sempre foi um traidor. Com qualquer menina, qualquer mulher que ele pudesse por suas mãos. Ele é nove anos mais velho que eu. E sabia da minha história, se aproveitou da situação. Ele me teve na palma de sua mão por anos. Fez com que eu me apaixonasse”, contou a garota.
Norbury foi demitido da escola onde trabalhava quando seus relacionamentos com menores de idade foram descobertos. Apesar da demissão, recebeu um pagamento de oito mil libras (aproximadamente R$ 32 mil) e uma excelente recomendação de chefes de educação.
Quando foi levado a julgamento por ter relações sexuais com três meninas com menos de 15 anos, Norbury foi considerado inocente após alegar que elas "já tinham 16 anos quando começaram a transar".
Agora, o professor enfrenta acusações por tocar sexualmente as meninas antes que elas tivessem idade para consentir ao toque. Entretanto, Norbury afirma que tais interações não aconteceram e que teve relações com apenas uma das garotas após ela completar 18 anos. O julgamento ainda não chegou a um veredicto.

Fonte: Último Segundo - iG 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.