Secretária da Saúde vai às pressas à Brasília para evitar corte no SAMU



Secretária da Saúde vai às pressas à Brasília para evitar corte no SAMU



O problema foi deixado pela antiga gestão que não prestou contas ao Governo Federal, o que poderia acabar com o SAMU em Ourinhos.

A secretária de Saúde, Cássia Palhas, junto com o coordenador regional de saúde Dr. Antônio Unimaru, foram às pressas à Brasília, dia 27 de janeiro, para evitar que o Ministério da Saúde cortasse recursos destinados ao SAMU.
Como a gestão passada deixou de prestar contas referentes ao serviço móvel de urgência de Ourinhos, o Governo Federal anunciou que não enviaria mais verbas. Para evitar o fim do serviço, o presidente da UMMES Marcio Burguinha esteve com o Prefeito Lucas Pocay para que juntos pudessem intervir junto à Coordenação Nacional de Urgência e Emergência, no Distrito Federal.


“Fomos informados que haveria corte nos recursos para o serviço regional devido pendências junto ao Ministério da Saúde dos anos de 2015 e 2016. Comunicamos que estamos assumindo a gestão após 12 anos do mesmo grupo político, que não sabíamos dessa situação e que vamos tentar saná-la”, conta a secretária de Saúde.
Cássia ressalta que nos últimos anos, a ex-administração não prestou contas ao Ministério da Saúde sobre o trabalho que estava sendo realizado pelo SAMU nas 12 cidades da região. Se a prefeitura fosse obrigada a devolver as verbas encaminhadas por Brasília, teria que retirar dos cofres públicos mais de R$ 1,3 milhão referente ao ano de 2015.
 “Conversamos com o coordenador nacional onde colocamos toda a dificuldade que encontramos no município e acredito que tivemos um bom diálogo”, conta Cássia.
A secretária fala que a partir de agora a pasta vai trabalhar também com o propósito de prestar contas para o SAMU nacional a fim de solucionar o problema. Ela avaliou como positivo o encontro.
“O coordenador nacional do SAMU ficou de avaliar a situação após a apresentação das notificações, mas apesar da situação que foi deixado este serviço e a dificuldade em solucionar a questão, foi um encontro muito positivo”, afirma.

E-Samu 
Aproveitando a visita em Brasília, o coordenador regional e a secretária também se reuniram com o representante no setor de informática do Samu Nacional para a implantação do e-Samu, que informatiza o serviço e dispensa a gravação de ligações do atendimento do Samu, economizando R$ 5 mil por mês.


Febre Amarela 
Diante do caso de Febre Amarela que foi confirmado em Santa Cruz do Rio Pardo, também foi discutido com o coordenador geral da Força Nacional do SUS, a necessidade de fazer uma ação preventiva da febre amarela em Ourinhos. As equipes do SAMU deverão passar por treinamento para melhorar o atendimento aos pacientes em relação a esta doença.

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.