"Vivia numa jaula e fui estuprada antes de falar", diz vítima de tráfico sexual




"Vivia numa jaula e fui estuprada antes de falar", diz vítima de tráfico sexual
Por iG São Paulo | 22/03/2017

Kendall conta que, durante sua vida no tráfico, era mantida em uma jaula pendurada no teto junto a outras crianças
shutterstock
Kendall conta que, durante sua vida no tráfico, era mantida em uma jaula pendurada no teto junto a outras crianças

Uma mulher, que alega ter sido vendida por seus pais para o tráfico sexual quando nasceu, decidiu tornar sua experiência pública. Ela tinha seis passaportes falsos e voava em aviões particulares para encontrar seus clientes.
Em entrevista ao programa de televisão “Dr. Phil”, Kendall (como foi identificada) diz que conseguiu escapar de seu “dono” há três anos, mas teme que o traficante internacional a procure. Foi a primeira vez que ela falou sobre o tráfico , o ambiente no qual cresceu e a forma como era tratada.
Kendall conta que se lembra de ter sido abusada pela primeira vez antes mesmo de começar a falar. “O meu dono dizia que eu fui feita para isso. Ele me mantinha em uma jaula que ficava pendurada do teto”, afirmou.
Quando não estava trancada com outras crianças sequestradas, Kendall voava ao redor do mundo em aviões particulares e era estuprada por homens poderosos. Quando ficou mais velha, começou a trabalhar como acompanhante em eventos de gala. Entre seus clientes estavam médicos, políticos e até funcionários de Justiça.
A mulher conta que foi ensinada a se vestir e se portar de forma que não levantasse suspeitas quanto à sua vida em cativeiro. “Um homem aparecia com várias roupas caras e nos vestia. Eu também tinha uma equipe de profissionais de cabelo e maquiagem”.
Ela contou que nunca chegou a ver o dinheiro que era pago por seu trabalho, já que um homem que trabalha para seu “dono” era o responsável pelas transações. Apesar de ter fugido do traficante, Kendall ainda se vê como uma posse do homem.

Tráfico humano


De acordo com relatório publicado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC), em 2014, 54% das pessoas traficadas em todo o mundo foram vítimas de exploração sexual. No total, 71% das vítimas de tráfico humano são mulheres, sendo 20% ainda crianças.

Fonte: Último Segundo - iG 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.