Vegetarianismo na infância é possível?



04/04/2017 
NUTRITIVO E SAUDÁVEL

Vegetarianismo na infância é possível?


A dieta vegetariana está a cada dia mais atraindo novos adeptos, pois além de oferecer uma alimentação saudável também contribui para o meio ambiente e respeita os direitos dos animais. Recentemente, a Universidade de Harvard (EUA) divulgou um estudo que avalia as causas de mortes por qualquer motivo e constatou que pessoas que consomem proteína animal, principalmente a carne vermelha, possuem até 2% a mais de chances de falecimento; se o indivíduo possuir doenças cardiovasculares, esse número aumenta para 8%. Já para quem escolhe proteínas vegetais, o risco de morte por qualquer causa cai até 12%. 

Porém, apesar de diversos benefícios e da popularidade em alta, ainda existem muitas dúvidas relacionadas à dieta, principalmente quando se trata da alimentação das crianças. Um dos principais questionamentos é se a restrição de alimentos pode prejudicar o crescimento dos pequenos, contudo diversos médicos e estudiosos garantem que não existem riscos, desde que os pais contem sempre com o acompanhamento de um nutricionista. 

Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, tirar a proteína e outros alimentos de origem animal da dieta das crianças só terá problemas se a substituição não for feita da maneira adequada. "Os pais têm um papel muito importante na alimentação dos pequenos. Crianças que conhecem alimentos variados tendem a manter uma alimentação mais rica em vitaminas e nutrientes ao longo da vida. Com o consumo de proteínas vegetais originárias apenas da natureza, a criança vegetariana terá uma alimentação mais saudável, favorecendo seu desenvolvimento em todos os âmbitos", comenta Cyntia.

A Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) classifica quatro tipos de dieta vegetariana: ovolactovegetariana (sem carne, mas com ovos, leite e derivados); lactovegetariana: (sem carne e ovos, mas com leite e derivados); ovovegetariana (sem carne, leite e derivados, mas com ovos) ou vegetariana estrita (sem carne, leite e ovos). Para a consultora, "se seguidas e acompanhadas por um médico ou nutricionista todas são recomendadas para as crianças". 

Abaixo, Cyntia pontua alguns nutrientes que demandam atenção especial na dieta das crianças vegetarianas, sendo estes importantes para o equilíbrio de suas necessidades: 

Ferro 
O ferro é encontrado em vegetais verde-escuros como couve, espinafre e rúcula e em leguminosa, onde podemos citar os feijões, ervilha e a lentilha. Porém, é recomendado que este seja consumido associando-o uma fonte de vitamina C para que seja melhor absorvido. 

Proteínas 
Dependendo da dieta incorporada, os vegetarianos podem encontrar proteínas em ovos, leites e derivados. No caso dos veganos, opções como tofu, soja, cogumelos, grãos e leguminosas podem ser ingeridos e irão compensar tranquilamente as proteínas animais. 

Zinco 
Apesar de ser encontrado em abundância na carne, o zinco também está presente em grãos e leguminosas como o feijão, cereais integrais e castanhas. Uma dica que contribuir com a digestão destes, é deixá-los de molho antes do preparo, assim o fitato presente não prejudica sua assimilação pelo organismo. 

Cálcio 
Muitos acreditam que o leite é o alimento que possui maior quantidade de cálcio, mas este não é o melhor nem a principal fonte deste nutriente. Podemos encontrar cálcio em frutas como damasco, figo e tangerina e também em verduras verde-escuras como brócolis e, principalmente, a couve. Para saber o quanto a criança precisa, é necessário o acompanhamento regular de um nutricionista, pois alguns alimentos são mais absorvidos que outros. 

Vitamina B12 
A vitamina B12 está presente em todos os alimentos de origem animal, sendo, praticamente ausente em alimentos vegetais. Sendo assim, para crianças que seguem a dieta vegetariana estrita, é necessário o uso de suplementação específica prescrita unicamente por um pediatra ou nutricionista.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.