Educação e Saúde discutem projeto “Apoiadores Mirins” para prevenção de doenças



Educação e Saúde discutem projeto “Apoiadores Mirins” para prevenção de doenças


          A equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde se reuniu na tarde de segunda-feira (22) com coordenadores e diretores das escolas municipais de Ourinhos para discutir a implantação do projeto “Apoiadores Mirins”. Em fase piloto, a ação envolve alunos de três escolas do município que disputarão dez vagas para atuarem como agentes mirins na disseminação de métodos de prevenção a doenças.
         As escolas participantes são as Emefs Nilse de Freitas e Amélia Abujamra Maron; e a Emei Abelardo Pinto. Os estudantes de quatro a sete anos vão participar produzindo desenhos com o tema específico na área da saúde definido pelo professor. Enquanto os estudantes de oito a doze anos terão de produzir uma redação sobre o assunto em questão.
         A diretora de Vigilância em Saúde, Célia Exposto, explica que serão selecionadas 30 crianças, dez de cada escola. No final do projeto, 10 alunos serão nomeados apoiadores mirins e participarão de uma capacitação para atuarem em uma área específica da saúde, como doenças relacionadas ao meio ambiente, higiene, zoonoses, entre outras.
         “Havia um projeto na escola Jorge Heckert, no Pacheco Chaves, denominada agente mirim. Diante do resultado positivo que tivemos lá, pensamos em estendê-lo para outras escolas, nascendo assim, o Apoiadores Mirins. Paralelamente a isto, estamos trabalhando com apoiadores regionais de saúde. É aí que se encaixam os apoiadores mirins que nos ajudarão a alcançar a comunidade e onde moram através deste projeto”, diz.
         Segundo Célia, no início do mês de maio, agentes da equipe de vigilância epidemiológica estiveram nas escolas para convidar as crianças a participarem do projeto. No próximo dia 30 de maio, haverá a seleção dos trabalhos que será realizada pela equipe da saúde.
         “As crianças que forem selecionadas receberão o uniforme de apoiadores igual ao que é usado pelos profissionais da nossa secretaria, além de serem apresentados formalmente para o prefeito Lucas Pocay e as autoridades”, comenta.
         A supervisora de ensino, Nelci Gomes, professora da rede há 22 anos, acredita que o envolvimento das crianças em projetos que tratam sobre a saúde pública e chamam a atenção para dados alarmantes faz com que elas se conscientizem do problema e ajudem a divulgar as ações de prevenção.
         “A educação está voltada para a formação da criança, por isso esta é uma ação muito rica. Não é somente o ganho de conhecimento, mas sua participação efetiva como uma apoiadora multiplicadora. Sem contar o quanto isso significa na vida de uma criança. Nós como educadores percebemos o quanto ela leva aquilo a sério e é a partir disso, que os resultados positivos de projetos como esse são colhidos”, avalia.
         Para Nelci, o trabalho em equipe faz toda a diferença. “O trabalho em parceria com as secretarias é um pedido do prefeito Lucas Pocay que, com certeza, surte um efeito muito mais positivo. Isso porque, com a atuação de vários profissionais envolvidos em uma só causa, não há dúvida que se tem mais eficiência e sucesso”, acredita. 

         A equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde se reuniu na tarde de segunda-feira (22) com coordenadores e diretores das escolas municipais de Ourinhos para discutir a implantação do projeto “Apoiadores Mirins”. Em fase piloto, a ação envolve alunos de três escolas do município que disputarão dez vagas para atuarem como agentes mirins na disseminação de métodos de prevenção a doenças.
         As escolas participantes são as Emefs Nilse de Freitas e Amélia Abujamra Maron; e a Emei Abelardo Pinto. Os estudantes de quatro a sete anos vão participar produzindo desenhos com o tema específico na área da saúde definido pelo professor. Enquanto os estudantes de oito a doze anos terão de produzir uma redação sobre o assunto em questão.
         A diretora de Vigilância em Saúde, Célia Exposto, explica que serão selecionadas 30 crianças, dez de cada escola. No final do projeto, 10 alunos serão nomeados apoiadores mirins e participarão de uma capacitação para atuarem em uma área específica da saúde, como doenças relacionadas ao meio ambiente, higiene, zoonoses, entre outras.
         “Havia um projeto na escola Jorge Heckert, no Pacheco Chave, denominada agente mirim. Diante do resultado positivo que tivemos lá, pensamos em estendê-lo para outras escolas, nascendo assim, o Apoiadores Mirins. Paralelamente a isto, estamos trabalhando com apoiadores regionais de saúde. É aí que se encaixam os apoiadores mirins que nos ajudarão a alcançar a comunidade e onde moram através deste projeto”, diz.
         Segundo Célia, no início do mês de maio, agentes da equipe de vigilância epidemiológica estiveram nas escolas para convidar as crianças a participarem do projeto. No próximo dia 30 de maio, haverá a seleção dos trabalhos que será realizada pela equipe da saúde.
         “As crianças que forem selecionadas receberão o uniforme de apoiadores igual ao que é usado pelos profissionais da nossa secretaria, além de serem apresentados formalmente para o prefeito Lucas Pocay e as autoridades”, comenta.
         A supervisora de ensino, Nelci Gomes, professora da rede há 22 anos, acredita que o envolvimento das crianças em projetos que tratam sobre a saúde pública e chamam a atenção para dados alarmantes faz com que elas se conscientizem do problema e ajudem a divulgar as ações de prevenção.
         “A educação está voltada para a formação da criança, por isso esta é uma ação muito rica. Não é somente o ganho de conhecimento, mas sua participação efetiva como uma apoiadora multiplicadora. Sem contar o quanto isso significa na vida de uma criança. Nós como educadores percebemos o quanto ela leva aquilo a sério e é a partir disso, que os resultados positivos de projetos como esse são colhidos”, avalia.
         Para Nelci, o trabalho em equipe faz toda a diferença. “O trabalho em parceria com as secretárias é um pedido do prefeito Lucas Pocay que, com certeza, surte um efeito muito mais positivo. Isso porque, com a atuação de vários profissionais envolvidos em uma só causa, não há dúvida que se tem mais eficiência e sucesso”, acredita. 

         A equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde se reuniu na tarde de segunda-feira (22) com coordenadores e diretores das escolas municipais de Ourinhos para discutir a implantação do projeto “Apoiadores Mirins”. Em fase piloto, a ação envolve alunos de três escolas do município que disputarão dez vagas para atuarem como agentes mirins na disseminação de métodos de prevenção a doenças.
         As escolas participantes são as Emefs Nilse de Freitas e Amélia Abujamra Maron; e a Emei Abelardo Pinto. Os estudantes de quatro a sete anos vão participar produzindo desenhos com o tema específico na área da saúde definido pelo professor. Enquanto os estudantes de oito a doze anos terão de produzir uma redação sobre o assunto em questão.
         A diretora de Vigilância em Saúde, Célia Exposto, explica que serão selecionadas 30 crianças, dez de cada escola. No final do projeto, 10 alunos serão nomeados apoiadores mirins e participarão de uma capacitação para atuarem em uma área específica da saúde, como doenças relacionadas ao meio ambiente, higiene, zoonoses, entre outras.
         “Havia um projeto na escola Jorge Heckert, no Pacheco Chave, denominada agente mirim. Diante do resultado positivo que tivemos lá, pensamos em estendê-lo para outras escolas, nascendo assim, o Apoiadores Mirins. Paralelamente a isto, estamos trabalhando com apoiadores regionais de saúde. É aí que se encaixam os apoiadores mirins que nos ajudarão a alcançar a comunidade e onde moram através deste projeto”, diz.
         Segundo Célia, no início do mês de maio, agentes da equipe de vigilância epidemiológica estiveram nas escolas para convidar as crianças a participarem do projeto. No próximo dia 30 de maio, haverá a seleção dos trabalhos que será realizada pela equipe da saúde.
         “As crianças que forem selecionadas receberão o uniforme de apoiadores igual ao que é usado pelos profissionais da nossa secretaria, além de serem apresentados formalmente para o prefeito Lucas Pocay e as autoridades”, comenta.
         A supervisora de ensino, Nelci Gomes, professora da rede há 22 anos, acredita que o envolvimento das crianças em projetos que tratam sobre a saúde pública e chamam a atenção para dados alarmantes faz com que elas se conscientizem do problema e ajudem a divulgar as ações de prevenção.
         “A educação está voltada para a formação da criança, por isso esta é uma ação muito rica. Não é somente o ganho de conhecimento, mas sua participação efetiva como uma apoiadora multiplicadora. Sem contar o quanto isso significa na vida de uma criança. Nós como educadores percebemos o quanto ela leva aquilo a sério e é a partir disso, que os resultados positivos de projetos como esse são colhidos”, avalia.
         Para Nelci, o trabalho em equipe faz toda a diferença. “O trabalho em parceria com as secretárias é um pedido do prefeito Lucas Pocay que, com certeza, surte um efeito muito mais positivo. Isso porque, com a atuação de vários profissionais envolvidos em uma só causa, não há dúvida que se tem mais eficiência e sucesso”, acredita. 
         A equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde se reuniu na tarde de segunda-feira (22) com coordenadores e diretores das escolas municipais de Ourinhos para discutir a implantação do projeto “Apoiadores Mirins”. Em fase piloto, a ação envolve alunos de três escolas do município que disputarão dez vagas para atuarem como agentes mirins na disseminação de métodos de prevenção a doenças.
         As escolas participantes são as Emefs Nilse de Freitas e Amélia Abujamra Maron; e a Emei Abelardo Pinto. Os estudantes de quatro a sete anos vão participar produzindo desenhos com o tema específico na área da saúde definido pelo professor. Enquanto os estudantes de oito a doze anos terão de produzir uma redação sobre o assunto em questão.
         A diretora de Vigilância em Saúde, Célia Exposto, explica que serão selecionadas 30 crianças, dez de cada escola. No final do projeto, 10 alunos serão nomeados apoiadores mirins e participarão de uma capacitação para atuarem em uma área específica da saúde, como doenças relacionadas ao meio ambiente, higiene, zoonoses, entre outras.
         “Havia um projeto na escola Jorge Heckert, no Pacheco Chave, denominada agente mirim. Diante do resultado positivo que tivemos lá, pensamos em estendê-lo para outras escolas, nascendo assim, o Apoiadores Mirins. Paralelamente a isto, estamos trabalhando com apoiadores regionais de saúde. É aí que se encaixam os apoiadores mirins que nos ajudarão a alcançar a comunidade e onde moram através deste projeto”, diz.
         Segundo Célia, no início do mês de maio, agentes da equipe de vigilância epidemiológica estiveram nas escolas para convidar as crianças a participarem do projeto. No próximo dia 30 de maio, haverá a seleção dos trabalhos que será realizada pela equipe da saúde.
         “As crianças que forem selecionadas receberão o uniforme de apoiadores igual ao que é usado pelos profissionais da nossa secretaria, além de serem apresentados formalmente para o prefeito Lucas Pocay e as autoridades”, comenta.
         A supervisora de ensino, Nelci Gomes, professora da rede há 22 anos, acredita que o envolvimento das crianças em projetos que tratam sobre a saúde pública e chamam a atenção para dados alarmantes faz com que elas se conscientizem do problema e ajudem a divulgar as ações de prevenção.
         “A educação está voltada para a formação da criança, por isso esta é uma ação muito rica. Não é somente o ganho de conhecimento, mas sua participação efetiva como uma apoiadora multiplicadora. Sem contar o quanto isso significa na vida de uma criança. Nós como educadores percebemos o quanto ela leva aquilo a sério e é a partir disso, que os resultados positivos de projetos como esse são colhidos”, avalia.

         Para Nelci, o trabalho em equipe faz toda a diferença. “O trabalho em parceria com as secretárias é um pedido do prefeito Lucas Pocay que, com certeza, surte um efeito muito mais positivo. Isso porque, com a atuação de vários profissionais envolvidos em uma só causa, não há dúvida que se tem mais eficiência e sucesso”, acredita. 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.