Protestos não barram tentativa de enterrar denúncia na Câmara, dizem aliados de Temer


Protestos não barram tentativa de enterrar denúncia na Câmara, dizem aliados de Temer

GLOBO MÍDIA

A pressão popular, como manifestações ou pedidos de eleitores, não deve embrulhar a investida do Planalto na Câmara dos Deputados em direção a embargar a provável denúncia da PGR (Procuradoria-Geral da República) contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB), afirmaram aliados do peemedebista ao UOL

Michel Temer, que já responde a um inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal), deve ser denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nas próximas semanas, segundo a própria expectativa de auxiliares do presidente.

A tramitação prevista é que Janot apresente a denúncia à presidente do STF, Cármen Lúcia, que, por sua vez, a remete ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Na Casa, a CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) analisará o pedido. Independentemente do resultado no colegiado, a denúncia é votada em plenário. em direção a embargar o princípio do processo, Temer precisa de pelo menos 171 votos contra a denúncia.

O governo conta com a adesão da maioria dos membros da CCJ e tem conseguido impor suas vontades. A comissão, inclusive, é presidida por um peemedebista, o deputado Rodrigo Pacheco (MG). Nas últimas semanas, por exemplo, o suporte conseguiu procrastinar o exame da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que estabelece eleições diretas em caso de vacância dos cargos de presidente da República e vice a seis meses do fim do mandato.

O Planalto já começou os trabalhos em direção a fortalecer o suporte aliado na Câmara e, segundo assessores e aliados do presidente, a pressão popular não deve constranger a corrida em direção a garantir Temer na Presidência. Isso porque as últimas manifestações físicas foram esvaziadas e parte da classe política está descontente com as obra de Janot, avaliam.

“Sinceramente, você acha que os políticos vão ficar do lado de quem? Com o Temer ou com o Janot? O Janot está num estado de ofensa contra o presidente. Isso pode constranger os políticos lá na frente. A classe política não concorda com as obras recentes dele”, respondeu um aliado de Temer à reportagem do UOL.

Em direção a um deputado peemedebista da chamada “tropa de choque” do presidente, Rodrigo Janot está politizando suas decisões, ao contendor do juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância. Outro fator em direção a relativa paz que os deputados devem contar ao votar em prol de Temer, apontou, é que o povo está “cansado”.

“A tentativa da oposição [em combater Temer] fracassou. O povo está cansado dessa confusão toda e o governo está trabalhando pela economia. Os índices estão melhorando, os empresários estão mais satisfeitos. Tem que passar as reformas”, afirmou.

Em direção a outro parlamentar partidário de Temer, as únicas manifestações que se veem são “showmícios”, junção de shows artísticos e comícios, com o objetivo de habilitar a prerrogativa de eleições diretas no país em favor do PT. Mesmo esses eventos, falou, não estão com tanta força quanto o esperado.

“O movimento de artistas não está conseguindo levar as pessoas nem aos shows. Isso é parte de um feito em direção a contar eleições diretas e o [ex-presidente] Lula se eleger antes de ser condenado”, declarou.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado em cinco ações penais, sendo três no contexto da Lava Jato, e já manifestou adesão à realização de eleições diretas em direção a Presidência no caso da saída de Michel Temer do cargo. Em evento no mês passado, Lula disse que “dá vontade de disputar” uma eventual eleição diante da “provocação” a ele.

O líder da minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), rebateu a carga do governista e afirmou que a “toalha” do PT são as eleições indiretas, como determina a Constituição.

“A oposição está mobilizando as ruas”, defendeu.

Protestos não barram tentativa de enterrar denúncia na Câmara, dizem aliados de Temer.

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.