Alerta: supergonorreia impossível de ser tratada está se espalhando, declara OMS



Alerta: supergonorreia impossível de ser tratada está se espalhando, declara OMSPor iG São Paulo | 07/07/2017
Casos de supergonorreia já foram detectados no Japão, França e Espanha
Shutterstock/Divulgação
Casos de supergonorreia já foram detectados no Japão, França e Espanha

Doença está resistindo aos antibióticos e não consegue ser tratada; sexo sem proteção pode ser uma das causas para que a infecção se dissemine; entenda

Com o aumento das práticas do sexo sem camisinha, um tipo de gonorreia muito potente está se espalhando em todo o mundo, conforme informou nesta sexta-feira (7) a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Batizada de supergonorreia , uma análise de 77 países verificou que a infecção, comum entre as doenças sexualmente transmissíveis (DST), não está sendo combatida com os antibióticos tradicionais. Isso porque a enfermidade está desenvolvendo uma resistência, evoluindo, e se tornando cada vez mais difícil de ser tratada.

“A bactéria que causa a gonorreia é esperta. Toda vez que usamos uma nova classe de antibióticos para tratar a infecção ela evolui para resistir a eles”, declarou Teodora Wi, especialista em reprodução humana da OMS.

Os casos onde o tratamento não está sendo eficaz foram identificados no Japão, França e Espanha. No entanto, a maioria dos registros da doença são encontrados em países mais pobres, onde é mais difícil ser detectadas e contabilizadas as dsts.

Gonorreia


Se não for tratada, a gonorreia pode causar infertilidade, doença inflamatória pélvica, gravidez ectópica e o aumento no risco de contrair HIV. Cerca de 78 milhões de pessoas contraem a DST por ano, conforme divulgou a OMS.

A doença afeta os órgãos genitais – produzindo uma secreção verde ou amarela, o reto e a garganta.  Esse último local é atingido por conta da prática do sexo oral sem camisinha.

A relação sexual sem proteção é o principal fator de risco, portanto, é de extrema importância o uso da camisinha durante todas as práticas de sexo para a prevenção dessa e de outras DSTs, já que, em algumas pessoas, os sinais da infecção podem não ser tão claros, ou simplesmente não aparecerem.

De acordo com a OMS , um em cada dez homens e quase metade das mulheres infectadas não sofrerão nenhum sintoma. Mesmo assim, há algumas características que requerem atenção especial e, caso você perceba alguma delas, é melhor procurar um médico.

Veja aqui quais são os principais sintomas da doença:


No pênis

  • Dor e ardência ao urinar; 
  • Secreção abundante de pus pela uretra; 
  • Dor ou inchaço em um dos testículos. 

Na vagina
  • Maior fluxo do corrimento vaginal, que pode ser apresentado com cor amarelada e odor desagradável; 
  • Dor e ardência ao urinar; 
  • Sangramento fora do período menstrual; 
  • Dores abdominais; 
  • Dor pélvica. 
Em outras partes do corpo

  • Reto 
  • Coceira na região anal, secreção de pus e sangramentos; 

  • Olhos
  • Dor, sensibilidade à luz, secreção de pus em um ou nos dois olhos; 

  • Garganta
  • Dor, dificuldade para engolir e presença de placas amareladas; 

  • Articulações
  • Vermelhidão, inchaço e dor.

Fonte: Saúde - iG 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.