Brasil é o país mais perigoso do mundo para ambientalistas



Brasil é o país mais perigoso do mundo para ambientalistas
Professor da Unesp é entrevistado pela Deutsche Welle, empresa de comunicação alemã
Deutsche Welle (DW)
13/07/2017
Indígena protesta em Brasília em prol de demarcação de terras
Nunca tantas pessoas foram assassinadas no mundo em defesa do meio ambiente como em 2016. A liderança do ranking que mapeia esse tipo de violência, mais uma vez, é do Brasil: foram 49 mortes no ano passado, divulgou a organização Global Witness nesta quinta-feira (13/07).
O pesquisador Carlos Alberto Feliciano, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), publicou uma série de artigos sobre a violência no campo. Ele calcula que, desde o ano 2000, cerca de 1 milhão de famílias já sofreram ameaças em decorrência de conflitos. "Vão desde despejo, destruição da colheita e da casa e ameaças físicas", detalha Feliciano.

A tendência é negativa, alerta o pesquisador. "O agronegócio precisa, até 2026, segundo dados divulgados pelo próprio setor, de 15 milhões de hectares. Para se expandir assim, haverá avanço sobre as terras de alguém. Então, a tendência é que essa violência aumente."

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.