Escuta clandestina na Corregedoria da Polícia Civil leva ao afastamento de capitães da PM


Escuta clandestina na Corregedoria da Polícia Civil leva ao afastamento de capitães da PM
Por Roberto Paiva, TV Globo, São Paulo


Prédio da Corregedoria da Polícia Civil, na Rua da Consolação, em SP (Foto: Paulo Toledo Piza/Arquivo G1)


Afastamento ocorreu porque os dois oficiais teriam descoberto o grampo, mas demoraram dois meses para informar aos superiores.


A descoberta de uma escuta clandestina dentro do prédio da Corregedoria da Polícia Civil levou ao afastamento de dois capitães da Polícia Militar. Os grampos foram encontrados em uma sala que deveria ser completamente protegida de vazamentos.

Segundo a polícia, os dois capitães atuavam na assessoria militar do Ministério Público estadual. Eles foram afastados porque teriam descoberto a escuta, mas demoraram dois meses para informar aos superiores.


A escuta ilegal foi instalada numa sala da divisão de operações policiais, que fica no primeiro andar. Lá é o local onde a população vem denunciar policiais corruptos. As denúncias são muito importantes para a Corregedoria porque costumam resultar em operações e prisões de policiais desonestos.

Ações como a de duas semanas atrás, quando oito PMs e quatro policiais civis foram presos por darem proteção a casas de bingos e de jogos de azar.

Durante um compromisso público no interior do estado, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) comentou o episódio. “Eu também vou verificar. Nós temos a melhor corregedoria do Brasil, tanto na Polícia Civil quanto na Policia Militar.”

O nome dos dois PMs não foi divulgado. A polícia ouvirá testemunhas para descobrir quem instalou a escuta clandestina e por quê. A investigação também vai apurar se a escuta ilegal colocou em risco a vida de alguém que foi até a corregedoria denunciar policiais.

Do G1

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.