EUA e Coreia do Sul realizam exercício com míssil em resposta a lançamento da Coreia do Norte



EUA e Coreia do Sul realizam exercício com míssil em resposta a lançamento da Coreia do Norte

Mísseis usados têm alcance de cerca de 300 km. Coreia do Norte lançou míssil intercontinental que percorreu 1.000 km.
Os Estados Unidos e Coreia do Sul realizaram nesta sexta-feira (28) um exercício militar com um míssil depois do lançamento de um míssil balístico pela Coreia do Norte mais cedo, segundo informa a agência sul-coreana Yonhap.

O exercício foi realizado ao longo da costa leste da Coreia do Sul e envolveu os mísseis Hyunmoo-2, da Coreia do Sul, e o 8th Army's ATACMS, dos EUA, segundo comunicado do Joint Chiefs of Staff.

O Hyunmoo-2 é um míssil balístico com alcance de 300 km e o ATACMS é um míssil superfície-superfície com alcance similar. Os aliados reafirmaram suas capacidades de "um ataque preciso contra a liderança do inimigo", diz o comunicado.

O exercício conjunto ocorreu horas depois que a Coreia do Norte lançou um míssil balístico internacional.

Míssil da Coreia do Norte

O míssil foi lançado de Mupyong-Ni e percorreu 1.000 km antes de cair no Mar do Japão, de acordo com o Pentágono. O Japão diz que o míssil teria caído nas águas de uma zona econômica exclusiva do país (ZEE). O lançamento ocorreu por volta das 11h45 (no horário de Brasília), segundo o porta-voz do Pentágono, o Capitão Jeff Davis.

A ZEE é uma faixa costeira com um raio de 200 milhas náuticas (370 km), além das águas territoriais de um país. Um espaço marinho no qual o país costeiro tem prerrogativas na utilização dos recursos naturais, tanto vivos como não-vivos, e responsabilidade na gestão ambiental.


Abe ainda declarou que uma reunião do Conselho de Segurança Nacional seria convocada e que o Japão tomaria as medidas necessárias para garantir a segurança de seus cidadãos.


Abe também salientou como esse lançamento mostra claramente que "a ameaça contra a nação japonesa é concreta e real", e pediu que Estados Unidos, Rússia, China e Coreia do Sul aumentem as pressões contra a Coreia do Norte para limitar testes missilíssimos futuros.


A rede americana CNN, citando uma fonte, afirma que os EUA acreditam que a Coreia do Norte poderá lançar um míssil balístico intercontinental (ICBM) com capacidade nuclear no início de 2018.

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.