Governo liberou R$ 134 milhões a deputados que votaram a favor de Temer na CCJ



Compra de votos com dinheiro público
Governo liberou R$ 134 milhões a deputados que votaram a favor de Temer na CCJ
Por iG São Paulo | 14/07/2017

CCJ da Câmara rejeitou parecer que recomendava admissibilidade da denúncia contra Michel Temer
Wilson Dias/Agência Brasil - 13.7.17
CCJ da Câmara rejeitou parecer que recomendava admissibilidade da denúncia contra Michel Temer

Segundo levantamento da ONG Contas Abertas, maioria dos parlamentares que apoiaram rejeição da denúncia contra Temer recebeu recursos às vésperas da votação; novo relator da denúncia foi quem mais recebeu

O governo federal liberou mais de R$ 134 milhões em emendas parlamentares aos deputados que votaram nessa quinta-feira (13) pela rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer  na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. De acordo com levantamento da ONG Contas Abertas, 36 dos 41 deputados que apoiaram o presidente na comissão receberam recursos do Planalto em junho, às vésperas da votação da denúncia por corrupção passiva.

O deputado que mais obteve recursos para suas iniciativas foi Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), justamente o escolhido para ser o novo relator da denúncia contra Temer após a rejeição do parecer de Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que era favorável ao prosseguimento do processo. Segundo a Contas Abertas, Abi-Ackel teve R$ 5,1 milhões empenhados no mês passado.

Na lista de maiores beneficiados por emendas também está o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que contou com empenhos de R$ 5 milhões. Mansur ganhou uma vaga na CCJ dois dias antes da votação, em manobra promovida pelos aliados do Planalto. Vice-líder do governo, Mansur entrou no lugar de Lincoln Portela (PRB-MG). 
Outro defensor de Temer, deputado Carlos Marun (PMDB-MS) também poderá contar com R$ 5 milhões em emendas comprometidas em junho. Marun também participou da troca de cadeiras na CCJ e entrou na vaga de José Fogaça (PMDB-RS), que passou para a suplência.

Ao todo, R$ 2 bilhões foram empenhados só no mês passado para parlamentares de 27 partidos e bancadas estaduais. Os pemedebistas contaram com R$ 284,2 milhões empenhados para emendas parlamentares . Já as bancadas do Maranhão, Rio Grande do Norte e Roraima tiveram empenhados R$ 220,4 milhões e contabilizaram seis votos a favor de Temer na CCJ.

Tramitação 

Apesar de o novo relatório aprovado pela CCJ recomendar o arquivamento da denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente, o pedido de abertura de processo ainda será votado pelo plenário. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), agendou a votação para após o recesso parlamentar, no dia 2 de agosto.

Para que a denúncia contra o presidente da República seja autorizada a ir a julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), é necessário ao menos dois terços dos votos (342) no plenário da Câmara. Cinco partidos já fecharam questão em apoio a Temer  (PMDB, PR, PP, PSD e PRB), somando 207 votos pela rejeição caso não ocorram 'traições'.

A denúncia contra o presidente Michel Temer foi oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O chefe do Ministério Público Federal acusa o peemedebista de cometer crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em episódios envolvendo o empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS.

Fonte: Último Segundo - iG 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.