Usar celular pirata pode render multa de até R$ 3 milhões, diz Anatel



11/02/2014 

Usar celular pirata pode render multa de até R$ 3 milhões, diz Anatel

Do G1, em São Paulo

Resultado de imagem para celulares piratas

Aparelhos não homologados pela agência podem causar interferências.
Punição vale ainda para quem vende ou fabrica aparelho sem certificação.


A fabricação, comercialização ou a utilização de celulares e aparelhos de radiofrequência pirateados rende multas que podem chegar a R$ 3 milhões, informa a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em comunicado publicado no novo site voltado a consumidores.
A informação faz parte de uma série de orientações sobre a homologação de aparelhos, processo conduzido pela Anatel para autorizar a comercialização de dispositivos de radiofrequência no Brasil.
Segundo a Mobile Manufacters Forum (MMF), celulares falsificados ou com baixa qualidade geram um prejuízo de US$ 6 bilhões a governos e fabricantes do mundo todo. Um sistema que bloqueará celulares sem homologação deve entrar em funcionamento ainda em 2014. Um participante do grupo de trabalho criado pela Anatel para discutir o tema informou ao G1 que, por enquanto, a previsão é que esse sistema entre em operação antes da Copa do Mundo, em junho.
No comunicado publicado no site para consumidores, a agência informa que, por não terem passado pelos testes necessários à homologação, aparelhos sem certificação podem causar interferências no funcionamento de outros equipamentos de radiofrequência.
Ttelefones sem fio sem homologação, por exemplo, podem afetar comunicações entre aeronaves e torres de controle, o que pode causar acidentes.
Além disso, “incompatibilidades técnicas podem fazer com que algumas funcionalidades sejam ‘anuladas’, o que pode acontecer, por exemplo, com o identificador de chamadas”, informa a autarquia, que regula a área de telecomunicações no Brasil.
Quem utiliza um desses aparelhos pirata descumpre a Regulação para Certificação e Homologação de Produtos de Telecomunicações.
Com valor inicial de R$ 100, mas que podem chegar a R$ 3 milhões, as multas são aplicadas de acordo com a gravidade do ato, que consideram os danos, a situação econômica do infrator, a vantagem tirada da situação e se houver reincidência.
Os produtos mais pirateados são celulares, telefones fixos, controles remotos de alarmes, portões, brinquedos, baterias de celulares, roteadores, modems, microfones, bem como mouses e teclados sem fio.
Do G1

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.