Cinco terroristas abatidos num segundo ataque na Catalunha



Espanha

Cinco terroristas abatidos num segundo ataque na Catalunha
Jornal de Notícias

A Polícia catalã matou cinco supostos terroristas em Cambrils, num segundo atentado terrorista, que causou um morto e está relacionado com o de Barcelona.

O Serviço de Emergência da Catalunha confirmou, esta sexta-feira de manhã, a morte de uma pessoa que havia ficado ferida com gravidade, esta sexta-feira de madrugada, quando um veículo investiu sobre uma multidão em Cambrils, estância balnear a 120 quilómetros de Barcelona.
A mulher estava internada no hospital Joan XXIII, em estado considerado crítico. É a primeira vítima mortal de um ataque perpetrado, sexta-feira de madrugada, em Cambrils. Os cinco supostos terroristas foram abatidos pela polícia. Quatro morreram no local e um já esta manhã. O ministro catalão do Interior, Joaquin Forn, relacionando os dois atentados, de Barcelona e Cambrils.
Os suspeitos estavam munidos com cintos de explosivos e armas de fogo. Os explosivos que tinham no corpo viriam a revelar-se falsos, depois de detonados pela polícia local, os Mossos D' Esquadra.
Cinco pessoas estavam, esta sexta-feira, hospitalizadas em Tarragona, no nordeste de Espanha, na sequência do ataque na localidade catalã de Cambrils, informou a Proteção Civil local. Uma das vítimas encontrava-se em estado crítico, e acabou por falecer, duas apresentam ferimentos graves e dois são feridos ligeiros, acrescentou.
Os cinco feridos estão internados nos centos hospitalares de Joan XXIII, Sant Joan de Reus e Santa Tecla, segundo a Proteção Civil.
Explosão de gás foi primeiro sinal do atentado
Segundo as autoridades, a preparação deste ataque terá começado na quarta-feira, em Tarragona.
Uma explosão ocorrida na noite de quarta-feira numa casa em Alcanar, Tarragona, que provocou a morte a uma pessoa, alegadamente quando estava a manusear bombas de gás butano, foi associada ao ataque nas Ramblas pela polícia de Barcelona.
O chefe dos Mossos d"Esquadra, Josep Lluís Trapero, disse que alguns elementos da investigação apontam para uma "ligação clara e com poucas dúvidas" os atentados em Barcelona e Cambrils à explosão em Alcanar.
A hipótese mais credível, segundo os Mossos d"Esquadra, é que os suspeitos estavam a fabricar um engenho explosivo.
Os Mossos d'Esquadra também efetuaram várias operações no contexto da investigação do atentado e mantêm um amplo dispositivo antiterrorista no controlo das saídas da cidade de Barcelona.
O motorista da furgoneta utilizada no ataque terrorista em Barcelona ainda estará em fuga. Com a morte desta mulher em Cambrils, sobe para 14 o número de mortos resultante deste ataque duplo na Catalunha.
Jornal de Notícias

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.