PRF consegue 'descongelar' R$ 33 milhões, e prevê retomar policiamento até segunda

PRF consegue 'descongelar' R$ 33 milhões, e prevê retomar policiamento até segunda
Por Mateus Rodrigues, G1 DF

Valor corresponde a 14,1% do contingenciamento total; ideia é honrar contratos de abastecimento e manutenção de viaturas. Trabalho foi reduzido no começo de julho.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou ao G1, nesta quinta-feira (17), que deve retomar o ritmo normal de monitoramento das estradas federais em todo o país até a próxima segunda (21). As atividades tinham sido reduzidas em julho, por falta de verbas, mas a corporação conseguiu "descongelar" R$ 33 milhões do orçamento.

De acordo com a PRF, esse valor será repartido entre as superintendências regionais de todo o país nos próximos dias. A direção nacional diz haver uma "sinalização" de que outros R$ 44 milhões podem ser liberados em breve mas, até a tarde desta quinta, ainda aguardava confirmação dos ministérios da Justiça e do Planejamento.

Os R$ 33 milhões, segundo a PRF, serão usados para honrar os contratos de abastecimento e manutenção dos veículos – um dos principais gargalos da corporação, frente à falta de recursos. A direção-geral da Polícia Rodoviária diz não saber, até o momento, se o valor será suficiente para pagar todas as faturas em atraso.

Nesta sexta (18), a direção nacional deve enviar um comunicado às superintendências regionais, determinando a retomada do ritmo normal de trabalho. A fatia de cada uma das 27 superintendências nesses R$ 33 milhões ainda será definida, de acordo com as necessidades dos estados.

Um mês de crise

A redução no policiamento foi anunciada em 4 de julho. Além dos veículos terrestres, os resgates aéreos da PRF também foram comprometidos. Na época, apenas o Espírito Santo anunciou que manteria o mesmo ritmo de operações.

Veja as atividades que foram afetadas, durante esse tempo:

Suspensão dos serviços de escolta de cargas superdimensionadas e escoltas em rodovias federais;
Suspensão imediata das atividades aéreas (policiamento e resgate);
Redução imediata dos deslocamentos terrestres de viaturas em patrulhamento;
Desativação de unidades operacionais;
Alteração do horário de funcionamento das unidades administrativas, com priorização de atendimento ao público entre 9h e 13h;

Na prática, ficaram suspensas as rondas em todas as rodovias. A orientação da PRF às unidades falava sobre priorizar os atendimentos a acidentes com vítimas, os deslocamentos em casos de crime e de auxílios que sejam de competência exclusiva da Polícia Rodoviária.

Do G1

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.