Rio de Janeiro registra morte do centésimo PM assassinado neste ano



Escalada da violência
Rio de Janeiro registra morte do centésimo PM assassinado neste anoPor iG São Paulo | 26/08/2017Centésimo PM morto, Fábio José Cavalcante e Sá, foi levado para UPA mas não resistiu aos ferimentos
Centésimo PM morto, Fábio José Cavalcante e Sá, foi levado para UPA mas não resistiu aos ferimentos

Soldado estava sem farda quando foi surpreendido por criminosos próximo à região onde morava alguns familiares, na Baixada Fluminense, neste sábado

Na manhã deste sábado (26), foi constatada a morte do centésimo PM no Rio de Janeiro em 2017. Segundo as informações da Polícia Militar, Fabio José Cavalcante e Sá tinha 39 anos e foi vítima de disparos de arma de fogo, próximo ao Largo do Guedes, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

De acordo com familiares da vítima, o soldado estava sem farda, em seu dia de folga. Os criminosos teriam chegado em um carro e tentaram assaltar o PM . No entanto, ao perceberem que Sá estava armado, os assassinos dispararam mais de 30 vezes, atingindo-o com 11 tiros.

Ainda segundo a PM, o sargento, lotado no 34º BPM (Magé), chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nilo Peçanha, em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos. 

Em nota, o Tribunal Regional Federal da Segunda Região (TRF2) e o Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT1) manifestaram apoio às famílias e amigos dos cem policiais do estado assassinados somente neste ano.

"Em homenagem às mulheres e aos homens que tombaram vítimas da violência, os presidentes de ambas as Cortes que subscrevem esta nota determinam o hasteamento dos pavilhões das instituições a meio-mastro, por três dias, a partir desta data", diz um trecho do texto.

Campanha pede 'basta'

 

Na última sexta-feira (26), uma imagem circulou nas redes sociais pedindo um 'basta' na morte de policiais. O desenho é um escudo semelhante ao da Polícia Militar do Rio em que vem escrito: "Não quero ser o centésimo! #basta".

Na última quinta-feira, o subtenente Mabel Sampaio foi assassinado, em São Gonçalo, na Região Metropolitana. Ele foi morto quando chegava em casa, no bairro Porto da Madama. 

Sampaio deixou mulher e uma filha, que usou a internet para se despedir do pai. "Difícil acreditar que tiraram você de mim. Destruíram a nossa família. Infelizmente, esse mundo está cheio de monstros", escreveu. 

Após ser atingido, o PM chegou a ser socorrido no Pronto Socorro Dr. Armando Gomes de Sá Couto, em Zé Garoto, mas morreu na unidade. O subtenente foi enterrado nesta sexta-feira no Cemitério Parque Nyteroy, em São Gonçalo.

Fonte: Último Segundo - iG 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.