Mortos e desaparecidos políticos recebem homenagens



Mortos e desaparecidos políticos recebem homenagens
Iniciativa aconteceu em 4/9, dia da descoberta da vala clandestina em Perus (SP)
12/09/2017
Muro de autoria do arquiteto Ricardo Ohtake, inaugurado em 26 de agosto de 1993




















No dia 4 de setembro, mortos e desaparecidos políticos durante a ditadura militar (1964 – 1985) receberam a primeira de três placas em suas homenagens, instalada no cemitério Dom Bosco, em Perus, zona Norte de São Paulo. As demais serão instaladas nos dias 18 e 26 de setembro, nos Cemitérios de Campo Grande e Vila Formosa, respectivamente. Além das placas, em cada sepultura foi plantado um ipê com a identificação do morto. As homenagens contemplam 53 vítimas sepultadas entre 1969 e 1979 nos três cemitérios.

O projeto é uma iniciativa conjunta das Secretarias de Direitos Humanos e Cidadania, do Verde e Meio Ambiente e do Serviço Funerário do Município de São Paulo. As placas atendem recomendações da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão da Memória e Verdade de Prefeitura Municipal de São Paulo.

A escolha de 4 de setembro para dar início às homenagens não é aleatória. Nesse mesmo dia e mês, em 1990, durante a gestão da prefeita Luiza Erundina (1989 – 1991), foi aberta a vala clandestina de Perus. A descoberta repercutiu na imprensa e entre os familiares dos mortos e desaparecidos políticos, que obtiveram apoio da então prefeita para a criação da Comissão Especial de Investigação das Ossadas de Perus.

Com o fim da gestão Luiza Erundina, incentivadora das investigações das ossadas, tornaram-se mais difíceis o término das identificações. Contudo, no local da vala foi erguido um memorial de autoria do arquiteto Ricardo Ohtake, inaugurado em 26 de agosto de 1993.

Documentação da gestão Luiza Erundina – Centro de Documentação e Estudos da Cidade de São Paulo (Cedesp), de propriedade do CEDEM, reúne adocumentação da Administração Municipal da prefeita Luiza Erundina (1989 a 1992). Foi criado em 1993 pela ex-prefeita para preservar e colocar à disposição dos pesquisadores e demais interessados em questões de políticas públicas municipais e gestão urbana a documentação e as informações produzidas durante os quatro anos de governo na cidade de São Paulo.

Entre os documentos disponíveis para pesquisa no CEDEM, estão os relativos à vala clandestina de Perus e narrativas sobre a identificação das ossadas. 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.