Ministério das Cidades autoriza recurso para retomada das obras no Recanto dos Pássaros III



RECANTO DOS PÁSSAROS III
Ministério das Cidades autoriza recurso para retomada das obras no Recanto dos Pássaros III


         A conquista dessa autorização foi graças ao trabalho incessante em Brasília do Deputado Walter Ihoshi em conjunto com o Prefeito Lucas Pocay


Depois de muito empenho do Deputado Federal Walter Ihoshi e do Prefeito Lucas Pocay, o Ministério das Cidades manifestou favorável para o aporte adicional de recursos com a finalidade de retomar as obras das 448 casas do Recanto dos Pássaros III em Ourinhos.
O aporte financeiro de mais de R$ 10 milhões já foi destinado ao Banco do Brasil que, junto com a Construplan, será responsável pelas obras.
Através do pedido do Prefeito Lucas Pocay, o Deputado Federal ourinhense Walter Ihoshi esteve mais uma vez no Ministério das Cidades, com a Secretária Nacional de Habitação Maria Henriqueta Alves, cobrando agilidade no processo e liberação do recurso. Com o dinheiro em conta, resta apenas a Construtora CP Construplan definir o cronograma para finalizar as moradias.
O Prefeito Lucas Pocay diz que as novas casas vão contribuir para o desenvolvimento da cidade, além de concretizar o sonho da casa própria de centenas de famílias.
“Desde o final do ano passado, antes mesmo de assumir a Prefeitura, tenho cobrado agilidade em relação a esse problema e apesar da demora por parte dos órgãos federais responsáveis, agora está autorizado pra finalizar as obras. Esta é uma região que carece de melhorias. Iremos acompanhar as obras e esperamos que sejam casas bem feitas, bonitas, como a população merece. Esse é um passo muito importante que estamos dando, que mostra a seriedade que estamos trabalhando pela população”, afirma o Prefeito Lucas Pocay.
Os mutuários sorteados para as casas do Recanto dos Pássaros aguardam a entrega das chaves desde maio de 2015, mas por falha política da administração passada, a construção, que estava praticamente pronta, foi abandonada. Desde então algumas residências são alvo de depredações e da ação do tempo.

As obras foram interrompidas pela Construtora RG3 sem motivo aparente. Na época, a Prefeitura se esquivou do problema afirmando que se tratava de um programa do Governo Federal, já que as residências foram construídas através do Minha Casa, Minha Vida.

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.