Complicou "mais ainda" a reeleição de Capitão Augusto


Complicou "mais ainda" a reeleição de Capitão Augusto



Resultado de imagem para capitão augusto


Complica a cada dia a pretensa reeleição do deputado federal Capitão Augusto, que também se indispôs com o prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo, Otacilio Parra (veja notícia do Debate abaixo) nesta última semana, buscando agora novos aliados dentro do município para a tentativa de se manter no abastado legislativo federal.

Em Ourinhos já se mostra praticamente impossível a mesma quantidade de votos para sua reeleição. Embora mantenha um grande aparato de assessores mantidos com dinheiro público na cidade, sua prepotência o carrega cada dia mais ao exílio político.

Outras cidades da região, que se esmeraram para sua eleição, também já manifestaram a impossibilidade de o apoiarem na reeleição, fato já conhecido e que, somados a Ourinhos e agora Santa Cruz do Rio Pardo, aterrorizam claramente as pretensões de Capitão Augusto.

E mais, notícias outras, como a declaração que o deputado federal Tiririca fez na mídia, de que não mais será candidato, é sem dúvida alguma outro fator negativo e preponderante nas carreiras políticas, não só de Augusto, mas dos que foram eleitos pela sobra de votos conquistados pelo PR, VIA TIRIRICA, o que motiva a querência do candidato eleito por Ourinhos e região a trocar de partido para tentar a reeleição, desde que o Partido Militar, de sua autoria, morreu na praia.

Por último há lembrar que outros candidatos de peso, com muito mais votos que Augusto já conquistados em outras eleições, estarão presentes na eleição de 2018, em especial no PR e disputando na região de Ourinhos, partido do Capitão que, dessa forma, aumentará em muitas dezenas de milhares a quantidade de votos necessários para a reeleição e, com essa balança de votos subindo cada vez mais, enquanto a popularidade de Augusto desmorona catastroficamente, praticamente impede a reeleição enquanto se aproxima a passos largos, implacável, outubro de 2018. 

Leia a matéria do DEBATE:

Capitão Augusto rompe com Otacílio e planeja formar grupo político em S. Cruz



O deputado Capitão Augusto (PR) se reuniu com políticos e imprensa para um café em Santa Cruz 

O deputado federal garante que já destinou mais de R$ 2,2 milhões a Santa Cruz através de emendas parlamentares, mas os valores não foram divulgados pelo prefeito Otacílio, que tem vínculos com outros grupos políticos, principalmente com o deputado federal Milton Monti (PR). “Eu preciso ter um grupo político em Santa Cruz e estou procurando novos parceiros que ajudem nesta divulgação”, afirmou, revelando que vai disputar a reeleição à Câmara dos Deputados.Pela primeira vez desde que tomou posse como deputado federal, Capitão Augusto (PR) fez críticas ao prefeito Otacílio Parras Assis (PSB). E desta vez, para anunciar um rompimento. Em entrevista coletiva à imprensa na tarde desta segunda-feira, 20, o deputado anunciou o rompimento com o prefeito e a disposição de formar um grupo político para apoiá-lo em Santa Cruz. Ele se queixou que a atual administração não divulga suas emendas que, segundo ele, beneficiaram Santa Cruz do Rio Pardo com mais de R$ 2,2 milhões nos últimos anos. Além disso, disse que a “gota d’água” foi o fato de sequer ter sido informado do sorteio das casas populares da CDHU na semana passada. Capitão Augusto, porém, garante que o distanciamento do prefeito não vai prejudicar a cidade. “Vou continuar destinando recursos para o município. No entanto, farei uma nova aposta em termos de grupo político”, disse, ressaltando que vai manter com Otacílio, de agora em diante, uma relação meramente “profissional”.
Capitão Augusto disse que sequer foi convidado pelo prefeito para o evento das casas da CDHU, que teve a presença do secretário estadual da Habitação e do deputado estadual Ricardo Madalena (PR). “Isto me surpreendeu e me chateou. Recebi convites de sorteio de casas populares de todos os municípios da região, mas Santa Cruz do Rio Pardo foi a única cidade que não me convidou. Então, é uma coisa que me desagradou muito”, afirmou. “Como a luz vemelha já estava acesa, decidimos mudar o caminho. Afinal, foram três anos de trabalho por Santa Cruz sem divulgações por parte da administração. Acreditamos que isto não vai mudar e, por isso, vamos procurar outros rumos”, disse.
Segundo o parlamentar, há uma regra fundamental na política para aqueles que não querem ser político de apenas um mandato. “É a gratidão, que sempre deve imperar nas questões políticas, independente se o grupo está fraco ou não. Em Ourinhos, por exemplo, nós apoiamos um grupo pela gratidão e compromisso, mesmo sabendo da enorme possibilidade de perder a eleição”, afirmou.
Ele explicou que está negociando a formação de um novo grupo político em Santa Cruz para apoiá-lo. O deputado federal foi recepcionado pelos vereadores Murilo Sala (SD) e Edvaldo Godoy (DEM).
(Leia mais sobre o rompimento do deputado
federal na próxima edição do 
DEBATE)

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.