Garotinho diz ter sido agredido na cadeia e deixa prisão para prestar queixa



Garotinho diz ter sido agredido na cadeia e deixa prisão para prestar queixa
Por iG São Paulo * | 24/11/2017
Garotinho e esposa foram presos por suspeita de corrupção, organização criminosa e irregularidades em contas eleitorais
Inácio Teixeira/Coperphoto - 26.9.14
Garotinho e esposa foram presos por suspeita de corrupção, organização criminosa e irregularidades em contas eleitorais

Ex-governador relatou que sua cela foi invadida por alguém que portava um porrete; Garotinho foi levado para prestar depoimento na delegacia

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho disse que foi vítima de agressão ma madrugada desta sexta-feira (24) dentro de sua cela no presídio de Benfica, na zona norte da capital fluminense . Ele foi levado pela manhã para prestar depoimento sobre o caso na delegacia de Bonsucesso, também na zona norte da capital fluminense, e a Polícia Civil instaurou inquérito policial para apurar o suposto crime.

De acordo com a versão de Anthony Garotinho , sua cela foi invadida por uma pessoa (que ele não soube precisar se tratava de um agente penitenciário ou de outro detento) portando um porrete. Ele também teria sido ameaçado com uma arma e chegou à delegacia nesta manhã apresentando ferimentos no pé e no joelho, conforme reportou a TV Globo.
Segundo a polícia, o ex-governador será encaminhado para realizar exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal. “A polícia vai requisitar as imagens do presídio para análise. As investigações seguem para apurar os fatos”, informou a corporação, em nota.

Garotinho foi preso na quarta-feira (22) junto com a mulher, Rosinha Matheus, sob acusações de prática dos crimes de corrupção, concussão, participação em organização criminosa e falsidade na prestação das contas eleitorais.


Receio de Garotinho


O ex-governador já havia manifestado receio em ser levado ao presídio de Benfica , onde também estão presos investigados na Lava Jato no Rio como o ex-governador Sérgio Cabral e os deputados estaduais Jorge Picciani (presidente da Alerj), Paulo Melo e Edson Albertassi – todos do PMDB.

Em nota divulgada pela equipe de Garotinho logo após sua prisão, o ex-governador atribuiu sua prisão às denúncias que ele diz ter feito a respeito do esquema criminoso envolvendo integrantes da Assembleia Legislativa do estado e o governo de Cabral. Ele também mencionou uma suposta ameaça que Picciani teria feito indiretamente a ele.

"Garotinho foi alertado por um agente penitenciário a respeito de uma reunião entre Sergio Cabral e Jorge Picciani durante a primeira prisão do deputado em Benfica [na semana passada]. Na ocasião, o presidente da Alerj teria afirmado que iria dar um tiro na cara de Garotinho", escreveu a equipe do ex-governador na nota, intitulada "Querem calar o Garotinho mais uma vez".

A defesa do casal Garotinho  protocolou nessa quinta-feira (23) pedidos de liberdade para os dois na Justiça Eleitoral fluminense, de onde partiu a autorização de prisão dos políticos.

Pelas redes sociais, a filha do ex-governador e deputada federal Clarissa Garotinho (PRB-RJ) disse que "está preocupada" e que teme pela vida de seu pai por ele ter sido alocado no "mesmo presídio onde Sérgio Cabral, Picciani, Sergio Cortes [ex-secretário de Saúde] e outros personagens da política fluminense estão presos".

A parlamentar reiterou o pedido para que Anthony Garotinho e Rosinha fossem mantidos no Quartel dos Bombeiros, para onde foram levados logo após serem detidos nesta semana.

*Com reportagem da Agência Brasil
Fonte: Último Segundo - iG 

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.