Morreu Totò Riina, o "chefe dos chefes" da Máfia siciliana

Itália

Morreu Totò Riina, o "chefe dos chefes" da Máfia siciliana

Jornal de Notícias

Conhecido por "o chefe dos chefes" da Máfia siciliana, Salvatore Totò Riina morreu, esta sexta-feira de madrugada, na cadeia, aos 87 anos, vítima de cancro.

Presumível autor moral de mais de 150 homicídios, Riina estava a cumprir 26 penas de prisão perpétua numa cadeia de Parma, depois de ter sido apanhado em 1993. Passou quase 25 anos em fuga até ao momento da sua prisão e foi o responsável pela morte de vários polícias, procuradores e juízes que se atreveram a investigar a "Cosa Nostra", incluindo Giovanni Falcone e Paolo Borsellino.
Totò Riina estava em coma induzido numa hospital de Parma, no norte de Itália, devido aos graves problemas de saúde de que padecia. Tinha cancro nos rins, Parkinson e problemas cardíacos.
O mafioso nasceu em 1930 na aldeia de Corleone, perto de Palermo, a mesma onde nasceu a personagem central do filme "O Padrinho", de Francis Ford Coppola. E as semelhanças entre o homem conhecido como "A Besta" não se ficam por aqui, também o seu pai foi assassinado quando ainda era criança.CREVER
Aos 19 anos, entrou para a Máfia. Para o conseguir, teve de matar uma pessoa como ritual de iniciação. Nos anos 70 subiu aos escalões máximos da organização criminosa e liderou uma ação concertada de combate às autoridades judiciais, até ser preso em 1993, depois de um rival ter falado com a polícia.
Mesmo na prisão, foi o mandante de vários assassinatos, entre eles o de um rapaz de 13 anos raptado para evitar que o pai revelasse informações sobre a Máfia. O rapaz foi estrangulado e o pai dissolvido em ácido. Quando um mafioso decidiu tornar-se testemunha do Estado, ordenou que 11 familiares fossem mortos, num outro caso divulgados pelos meios de comunicação internacionais.
Pouco antes de morrer, as autoridades permitiram que a família fizesse uma última visita. Em julho, os médicos afirmavam que continuava lúcido e sem qualquer arrependimento das suas ações.
Giovanni, o filho mais velho, está a cumprir uma pena de prisão perpétua por quatro assassinatos.
"Para mim, não é Toto Riina, é apenas meu pai, e desejo-lhe um feliz aniversário, papá, neste dia triste mas importante. Eu amo-te", escreveu um outro filho, Salvatore, na quinta-feira, no Facebook.
Jornal de Notícias

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.