Prefeito Lucas Pocay cobra posição do Governo Estadual sobre atendimento no AME de Ourinhos

Prefeito Lucas Pocay cobra posição do Governo Estadual sobre atendimento no AME de Ourinhos



         Reclamações de pacientes sobre o atendimento de responsabilidade do Governo do Estado prestado no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Ourinhos fez com que o Prefeito Lucas Pocay acionasse a Secretaria do Estado da Saúde cobrando uma solução para o problema. Enquanto o serviço prestado pelo município recebe elogios da população, os procedimentos oferecidos pelo AME deixam a administração de Ourinhos de mãos atadas, já que o município não pode interferir na gestão estadual.
         As queixas referentes ao atendimento começaram dia 1º de outubro, data em que a Santa Casa de Misericórdia de Assis começou a administrar a instituição. A Secretária Municipal de Saúde, Cássia Palhas, esteve na quinta-feira (23) no ambulatório para tomar conhecimento do problema. Cássia fala que a situação é preocupante, mas esclarece que a Prefeitura Municipal de Ourinhos não tem nenhuma governabilidade sobre o atendimento que é prestado pelo AME.
         “Queremos que a população saiba que a situação também nos preocupa e o que estiver dentro do possível faremos para atender os anseios dos ourinhenses, mas precisamos esclarecer que o atendimento que é prestado pelo AME é totalmente gerenciado pelo Governo do Estado, através da empresa que foi a ganhadora da licitação. A Prefeitura não tem nenhuma responsabilidade sobre os serviços. Inclusive todos os encaminhamentos que são feitos do município para o AME são intermediados pela Diretoria Regional de Saúde, ou seja, não temos acesso nenhum”, explica.
         Entretanto, Cássia ressalta que a Prefeitura tem se esforçado para cobrar o Governo do Estado para que a situação seja normalizada o mais rápido possível. “Essa mudança gerou preocupação, mas deve fazer uma avaliação para saber se trata de uma questão de adaptação ou se realmente há alterações necessárias para que o serviço continue sendo prestado com qualidade. Entre as reclamações que tem chegado até nós, acreditamos que o Governo do Estado possa ajustar os ponteiros e trazer uma solução para que não haja mais nenhum problema e o AME possa continuar prestando o bom atendimento que sempre prestou”, afirma.
         Santa Casa de Misericórdia de Assis assumiu a administração do AME em outubro após o fim do contrato de 5 anos com a Famesp (Fundação para o Desenvolvimento Médico Hospitalar) de Botucatu. A licitação foi encerrada em agosto.



Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.