APÓS CASO ESTÁCIO, OUTRAS FACULDADES PREPARAM DEMISSÕES DE PROFESSORES



APÓS CASO ESTÁCIO, OUTRAS FACULDADES PREPARAM DEMISSÕES DE PROFESSORES

17 DE DEZEMBRO DE 2017

Mais um efeito nefasto da reforma trabalhista de Michel Temer; a demissão de 1.200 professores pela universidade Estácio, no início do mês, inspirou outras instituições de ensino a fazer o mês; cortes já foram efetuados, ou estão em planejamento; a Metodista mandou embora cerca de 50 professores, conforme cálculos do Sinpro-ABC (sindicato do ABC), que relata atrasos nos salários e no 13° desde 2015; aa semana passada, a Cásper Líbero desligou 13

Ricardo Moraes/Reuters
A building of Estacio college is pictured in Rio de Janeiro, Brazil, June 30, 2016. REUTERS/Ricardo Moraes ORG XMIT: RJO09
Prédio do grupo de ensino superior Estácio, no Rio
247 - Após a demissão de 1.200 professores anunciada pela Estácio no início deste mês, outras instituições de ensino superior dispensaram dezenas de docentes ou preparam cortes para os próximos dias.

A Metodista mandou embora cerca de 50 professores, conforme cálculos do Sinpro-ABC (sindicato do ABC), que relata atrasos nos salários e no 13° desde 2015. A escola não quis comentar.

Na semana passada, a Cásper Líbero desligou 13.

"Com aproximadamente 90 docentes, em janeiro já temos programado o processo seletivo para reposição das vagas", diz a Cásper em nota.

Mais cortes estão sendo discutidos com sindicatos. A Laureate, dona da Anhembi Morumbi, se reúne na terça (19), segundo a Fepesp (Federação dos Professores do Estado de São Paulo).

As informações são de reportagem de Joana Cunha e Filipe Oliveira na Folha de S.Paulo.

247 BRASIL

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.