Nesta terça-feira (05), um evento em São Paulo colocou lado a lado o juiz federal Sérgio Moro [VIDEO] e vários investigados pela Operação Lava Jato. Entre os envolvidos em esquema de corrupção, estava o presidente Michel #Temer e alguns ministros.
O juiz estava sendo premiado como o "brasileiro de 2017" pela revista IstoÉ. Ao ser chamado para receber a premiação, um constrangimento tomou conta do local. O presidente Temer e membros do seu governo não se levantaram. Eles ignoraram um juiz que tem feito de tudo para combater a corrupção [VIDEO] no país.
Moro decidiu agir diferente esse ano e evitou contato com os políticos.
No ano passado, ele foi muito criticado pelos seus "inimigos" por ter estado ao lado do senador Aécio Neves, que pouco tempo depois estava envolvido em esquemas irregulares, sendo um dos principais alvos da delação da JBS.
Para não criar falatório, o magistrado preferiu ficar distante desses políticos e evitar que fotos distorcidas o acusassem de ser parcial nos julgamentos.

Palco dividido

No palco junto com o juiz, além de Temer, estava o ministro Moreira Franco. Eles foram denunciados por corrupção passiva pela Procuradoria-Geral da República. Também estavam próximos do juiz responsável pelo operação mais famosa e eficaz contra a corrupção já ocorrida no Brasil, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) e Paulo Skaf, que tentou o governo de São Paulo, em 2012. Os dois estão envolvidos em delações da construtora Odebrecht.
Também estava no palco, o o presidente do Senado Federal Eunício Oliveira, alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).
Além de todos esses investigados de corrupção, o evento trouxe a presença de outros parlamentares. No palco estavam: João Dória, prefeito de São Paulo, o senador Álvaro Dias (Podemos) e candidato à presidência da República, o ministro Henrique Meirelles e o apresentador da Rede Globo e que desistiu de disputar as eleições de 2018, Luciano Huck.

Papel feio

Ao ser chamado para receber o prêmio merecido, Moro viu que à sua volta três pessoas que não se levantaram. O magistrado tão querido pela grande maioria dos brasileiros viu um papel feio do presidente Temer, do ministro Moreira Franco e do presidente do Senado, Eunício. Eles não se levantaram e o clima não foi legal.
No evento, eles foram obrigado a ouvir o juiz falar e dar um forte discurso contra a corrupção. Moro defendeu a prisão em segunda instância. Esse assunto será retomado em breve pelo STF. #Sergio Moro