Orquestra Experimental de Ourinhos emociona público e é aplaudida de pé

TEATRO LOTADO

         Orquestra Experimental de Ourinhos emociona público e é aplaudida de pé


          A orquestra Experimental de Ourinhos foi aplaudida de pé e teve pedido de bis da plateia que lotou o Teatro Municipal na noite de segunda-feira (04). Sob a regência do maestro Paulo Flores, os músicos interpretaram a obra “Coisas e Coisas” do compositor e multi-instrumentista pernambucano Moacir Santos. O evento, uma realização da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria da Cultura, abriu as festividades de Natal e a programação pelo aniversário de 99 anos de Ourinhos, celebrado dia 13 de dezembro.


         O Prefeito Lucas Pocay prestigiou a apresentação ao lado de familiares e da esposa, a Primeira-Dama Clara Pocay. Ele saudou o público e revelou o teor ainda mais especial da noite pelo aniversário de 35 anos de casamento de seus pais Claury e Beth.


         “É um privilégio poder estar aqui com meus pais, meu irmão Daniel, minha avó Leonor, que sempre me passaram os valores de família, de amor, de respeito, para que a gente possa construir uma sociedade que tenha esses princípios. E nossa gestão caminha assim, sempre buscando o melhor para as pessoas. Nesse dia tão especial, fechando o primeiro ano de gestão, fica um gosto ainda melhor podermos ouvir a nossa orquestra e repensar os desafios enfrentados, as ações alcançadas e que geraram grandes resultados para a população. Gostaria de agradecer a todos pela confiança e que possamos renovar as esperanças e sonhos que moram dentro de cada um de nós”, declara Pocay.


         O Secretário de Cultura, Rodrigo Donato, ressaltou que a apresentação é um marco da orquestra formada no início deste ano e que já vem se destacando em eventos da região.


         “A orquestra começou janeiro. Sempre tivemos essa ideia de que os professores tocassem juntos com os alunos. É uma orquestra experimental porque tem a junção de todos os ritmos. Acordeão, viola caipira, tuba, bateria, três guitarras, percussão. Enfim, é a junção de todos os estilos musicais e instrumentos dentro de uma só orquestra. Começou com um ensaio e culmina com essa apresentação grandiosa, abrindo as festividades de Natal que já está agendada de julho”, afirma.
O maestro Paulo Flores destaca o talento da orquestra e diz que o apoio do Prefeito Lucas Pocay é fundamental para a manutenção da cultura em Ourinhos.


         Juntar instrumentos de orquestras, metais com cordas, mistura de características e sonoridades diferentes surtiu resultados excelentes. A ideia que tivemos, com apoio do Prefeito Lucas Pocay, foi atender exatamente aquilo que está nascendo da Escola de Música de Ourinhos. Uma estrutura que nunca existiu”, relata.

         Entre as obras de Moacir Santos interpretadas pela orquestra estavam “Coisa 1”, “Coisa 2”, “Coisa 3”, “Coisa 7”, “Coisa 8”, “Coisa 9”, “Coisa 10”, “Nanã”, “Suk Cha”, “April Child”, “Amphibious” e “Maracatucute”. O maestro Paulo Flores diz que a escolha do repertório se baseou na estética dos arranjos do compositor.
         “Moacir Santos é um cara fantástico, um compositor soma do afro da música erudita, o jazz. Houve um resgate do trabalho dele e estamos mantendo e divulgado esse trabalho que eu acho muito importante”, conta Flores.


Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.