Um dos maiores traficantes do País é preso na Gleba Palhano



LONDRINA

Um dos maiores traficantes do País é preso na Gleba Palhano

Foto Saulo Ohara - Folha de Londrina
Saulo Ohara

A Polícia Civil em Londrina apresentou nesta quinta-feira (21) o traficante Mário Sérgio Arias, 60 anos, conhecido como Panelão, considerado um dos maiores traficantes do País. Arias foi preso na quarta-feira (20), na Gleba Palhano (zona sul), quando visitava uma filha que reside em um edifício na região. Policiais da Furtos e Roubos cumpriram mandados de prisão expedidos pela Justiça de São Paulo após quatro dias de investigações sobre denúncias de que ele estaria na cidade. Arias estava foragido desde 2012, quando cumpria pena por roubo e tráfico de entorpecentes no Centro de Progressão Penitenciária de Pacaembu, na Grande São Paulo.

"Toda a polícia do Brasil estava atrás de Mário Arias, considerado um dos maiores traficantes do Brasil. Ele tem antecedentes criminais desde 1977", disse o delegado do Setor Operacional de Furtos e Roubos de Londrina, Thiago Vicentini de Oliveira. O traficante chegou a chefiar uma quadrilha responsável pela movimentação de até uma tonelada de cocaína por mês. A droga era transportada em aeronaves para os estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Arias também é suspeito de envolvimento na morte de três policiais civis e quatro policiais militares em Santo André, Osasco e Santa Isabel, na Grande São Paulo, entre março de 2009 e abril de 2010. "Ele tem passagens por homicídios, roubos, tráfico de drogas e, segundo o Denarc, que nos auxiliou na diligência de ontem, pertence a uma família em que todos os membros têm relação com o crime, num espectro nacional", afirmou Oliveira.

Segundo o delegado, a Polícia Civil em Londrina realizou buscas no sistema informatizado do Paraná e após entrar em contato com policiais do Estado de São Paulo conseguiu confirmar a denúncia. Ao ser preso, Arias estava com um veículo Land Rover blindado, com placas de Hortolândia (SP). Tanto o documento do veículo quanto a carteira de habilitação usada por ele estavam em nome de outra pessoa. Uma perícia irá averiguar a procedência do automóvel e a polícia investiga se o nome que consta na carteira de habilitação utilizada pelo traficante tem ligações com Arias ou se é uma vítima dele. A identidade do traficante foi comprovada pela ficha de identificação papiloscópica fornecida pela Polícia Civil de São Paulo.
A Polícia Civil em Londrina cumpriu mandados de prisão por roubo expedidos pela Justiça paulista, mas a maioria dos processos criminais aos quais ele respondeu é do Espírito Santo. O delegado não soube informar se Arias segue na vida criminosa. "No depoimento ele ficou em silêncio e sobre os outros crimes passados não é competência daqui de Londrina porque os processos já transitam em julgado."

O delegado informou que foi instaurado um inquérito para apurar a prática de crime de falsidade ideológica que será encaminhado ao 1º Distrito Policial. "Certamente, uma das diligências a serem tomadas pelo delegado titular daquele órgão é fazer uma apuração da vida familiar do Mário na cidade e se os familiares podem ter relação com outros crimes", ressaltou Oliveira.

Arias deverá ser transferido para São Paulo, onde irá responder pelos crimes de roubo que deram origem aos mandados de prisão cumpridos em Londrina. Por questões de segurança, no entanto, a polícia não deu detalhes sobre a transferência.
Simoni Saris
Reportagem Local - Folha de Londrina

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.