Temer pede ao STF para arquivar inquérito que apura propina na edição do decreto sobre portos



Temer pede ao STF para arquivar inquérito que apura propina na edição do decreto sobre portos

Por Andréia Sadi  -  G1
19/01/2018

Resultado de imagem para TEMER

A defesa do presidente Michel Temer pediu nesta sexta-feira (19) ao Supremo Tribunal Federal para arquivar o inquérito que investiga se ele recebeu propina na edição de um decreto do setor de portos.

Procurado pelo blog, o advogado Brian Prado, que representa Antonio Claudio Mariz – advogado de Temer –, confirmou que o pedido foi protocolado.

O documento foi encaminhado ao ministro Luis Roberto Barroso, relator do caso no STF.

Na peça, a defesa do presidente argumenta que as alegações expostas nos autos sobre Temer estão "contaminadas por inverdades e distorções da realidade em detrimento de seu governo, de sua honra pessoal e da estabilidade das instituições".

Foi neste inquérito que Temer enviou, nesta quinta (18), as respostas às 50 perguntas da Polícia Federal sobre o decreto.

Entre outros pontos, a PF indagou a Temer, por exemplo, se havia pedido ou autorizado o ex-assessor Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) a receber dinheiro em nome dele.

O presidente, então, disse que "nunca" pediu a Loures que recebesse recursos da campanha ou "de qualquer outra origem".

Caso Rodrimar

A suspeita do Ministério Público Federal é de que executivos da Rodrimar pagaram propina para que a empresa, que atua no setor de portos, fosse beneficiada com a edição do decreto. Temer e a companhia negam.

À PF, o presidente afirmou: "As empresas do Grupo Rodrimar não foram beneficiadas".

Em outro trecho, Temer acrescentou: "Não fui procurado por empresários do setor portuário sobre a edição de normativo que buscasse ampliar os prazos das concessões de terminais portuários."

do G1

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.