'Pagpag', a comida 'reciclada' do lixo que é vendida aos pobres nas Filipinas



'Pagpag', a comida 'reciclada' do lixo que é vendida aos pobres nas Filipinas


BBC Portugal
Resultado de imagem para pagpag, a comida reciclada do lixo que é vendida aos pobres das filipinas... bbc
Todos os dias de madrugada, assim que centenas de sacos de lixo vindos dos restaurantes fast-food são despejadas em aterros sanitários em Manila, capital das Filipinas, dezenas de coletores se esforçam para buscar possíveis restos de alimentos.
Essas sobras são, então, cozidas e vendidas em comunidades pobres da metrópole.
Na língua tagalo, também conhecido como filipino, "pagpag" - o nome que se dá a essas refeições - é a palavra usada para descrever o pó que se solta quando se sacodem roupas e tapetes.
"Trabalho com isso há cinco meses. Meu chefe me paga cerca de US$ 6 (R$ 20) por semana depois de vender o 'pagpag'", diz Renato Navarro Conde, coletor de pagpag.
Uma sacola cheia de restos de carne é vendida por cerca de US$ 0,50 (R$ 1,60).
Um dos compradores é Norbeto Lucion, dono de um restaurante.
"Tenho que ir ao mercado para comprar ingredientes como alho, cebolas. Antes de cozinhar, retiro os ossos para garantir que o prato só terá carnes", diz Lucion.
"Depois que a carne é separada dos ossos, eu a lavo. Depois de lavá-la, eu cozinho tudo a fogo baixo. Uma tigela custa US$ 0,20 (R$ 0,65)", acrescenta.
O entregador Nonoy Morallos é cliente assíduo do restaurante.
"Como 'pagpag' porque é saboroso. É muito bom. Este restaurante, em particular, faz 'pagpag' limpo, por isso mais pessoas compram aqui. Mas é preciso ter estômago forte", conta.
"Estamos acostumados com isso. É o que temos. É o que os pobres podem comprar. Enquanto estivermos por aqui, vamos continuar comendo 'pagpag'", completa.
Segundo o Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB, na sigla em inglês), as Filipinas são um dos poucos países da Ásia onde a desigualdade de renda vem aumentando nos últimos anos.
Cerca de 20% dos filipinos vivem abaixo da linha da pobreza, diz a instituição.
Na última quinta-feira, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, gerou polêmica ao defender um aumento de salário para si mesmo porque tem “duas esposas”.
Duterte ganha atualmente cerca de US$ 5,8 mil (R$ 18,8 mil).
A menção às suas “duas mulheres” decorre do fato de que ele é divorciado. Seu primeiro casamento foi anulado em 2000. Ele se casou, então, novamente.
BBC PORTUGAL

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.