DIA MUNDIAL DA ÁGUA: SAE REALIZA PALESTRA AOS REEDUCANDOS DO CR


DIA MUNDIAL DA ÁGUA:
SAE REALIZA PALESTRA AOS REEDUCANDOS DO CR



No último dia 22, a SAE (Superintendência de Água e Esgoto de Ourinhos), realizou uma palestra aos 80 reeducandos do regime fechado co Centro de Ressocialização de Ourinhos. Destacou o uso consciente desse bem tão valioso que é a água, abordou um breve relato histórico sobre a empresa que tem o objetivo de captar a água do Rio Pardo, seu tratamento e distribuição à população ourinhense, e que também te a função de zelar pela coleta seletiva, o esgoto e limpeza urbana. Também destacou a importância do Rio Pardo para Ourinhos, já que suas águas são usadas para o abastecimento doméstico, após um tratamento convencional, recreação e criação de peixes destinados à alimentação, e indústria de Ourinhos e região. Um rio de aproximadamente 264 km de extensão, que passa por 15 cidades, e que está entre os poucos rios não poluídos do Estado de São Paulo.


Além da palestra oferecida pela SAE, o tema foi abordado pelos professores da Rede Estadual, que lecionam na Unidade do CR, destacando a importância de tratarmos a água como um direito humano, considerada assim pelo Comitê das Nações Unidas para os Direitos Econômicos, Culturais e Sociais, já que é fundamental para a vida e a saúde do ser humano. Nosso Planeta tem apenas 2/3 de água, e estudos revelam que 97% da água é salgada e imprópria para ser bebida ou aproveitada pela indústria; 1,75% é gelo, 1,24% está em rios subterrâneos, escondidos no interior do planeta. Para o consumo restam apenas 0,007% da água da terra, de acordo com a UNESCO.


Foi levado ao conhecimento dos alunos também que está em andamento a construção de 03 pequenas hidrelétricas as margens do Rio Pardo, para tanto foi devastado uma área muito grande de mata nativa, e que essas construções trarão consequências drásticas ao meio ambiente, prejudicando principalmente as cidades que necessitam das águas do Rio Pardo, a biodiversidade, a paisagem e o desenvolvimento de atividades econômicas, atrapalhando as piracemas, destruindo florestas nativas e vegetação, influências no nível das águas, eliminação de oxigênio, mudança na qualidade da águas e erosão e depósitos de sedimentos, prejudicando a o curso da água. Será uma grande perca para a região, considerando que a previsão de produção de energia é bem pequena.

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.