O senhor das armas



O senhor das armas

Vicente Vilardaga - ISTO É

Crédito: Silvia Izquierdo

TIRO CERTO... Apreensão de 60 fuzis no aeroporto do Galeão em junho do ano passado levou à descoberta de organização criminosa (Crédito: Silvia Izquierdo)

Polícia desvenda esquema comandado por Frederik Barbieri, preso nos EUA e considerado o maior contrabandista de fuzis para o Brasil

Com base na Flórida, Frederik Barbieri, de 46 anos, controlava, pelo menos desde 2007, uma vigorosa rota de contrabando de armas de guerra e munições que abastecia as facções criminosas e as milícias do Rio de Janeiro. Mas seu negócio ilegal, camuflado por uma empresa de exportação de produtos eletrônicos, como aquecedores de piscina e equipamentos de ar condicionado, desmoronou, há dez dias, quando ele foi preso pelo Serviço de Migração e Alfândegas dos Estados Unidos em sua casa na localidade de Fort Pierce, a 200 quilômetros de Miami. A prisão foi possível graças à colaboração, nos últimos seis meses, entre a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), da Polícia Civil do Rio de Janeiro, e a polícia americana, que também investigou as atividades do traficante e ajudou a entender como sua quadrilha operava.

“Acreditamos que com essa prisão a organização criminosa foi desmantelada”, afirma o delegado Fabrício Oliveira, titular do Desarme. “Diversas pessoas foram identificadas e presas — e se acabou um esquema sofisticado de envio de fuzis dos Estados Unidos para o Brasil.”
QUADRILHA O filho de Barbieri, João Filipe, é preso em São José do Rio Preto (SP). (Crédito:Divulgação)
Potencialmente, Barbieri contrabandeou pelo menos mil armas entre maio de 2013 e junho de 2017, mas o número total pode chegar a 3 mil. A estimativa é feita pela polícia com base na quantidade de equipamentos que ele exportou para o País em quatro anos. Usando os serviços de duas transportadoras, a NB Enterprises e a Alpha Internacional, ele trouxe em aviões para o Brasil cerca de 800 motores elétricos, aquecedores de água e unidades de ar condicionado. A polícia considera que cada um desses equipamentos servia basicamente para esconder fuzis. Sócios das transportadoras declararam desconhecer a presença de armas na carga. Na última quinta-feira, o juiz Patrick White, da Corte Federal em Miami, estabeleceu uma fiança de US$ 1,5 milhão (R$ 4,8 milhões) para Barbieri, que foi indiciado por contrabando. Para responder ao processo em liberdade, ele precisa pagar 15% desse total, US$ 225 mil, e dar garantias de pagamento do restante do valor. Além disso, deverá comprovar a origem lícita do dinheiro da fiança, não se ausentar do estado da Flórida e usar tornozeleira eletrônica.
ISTO É

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.