Filha de Michel Temer irá depor à Polícia Federal no dia 2 de maio


Caixa realiza feirão com mais de 200 mil imóveis em 15 cidades brasileiras


Um duro golpe na Lava Jato


Temer rebate PF e diz ser alvo de "perseguição disfarçada de investigação"


VAGAS DO PAT OURINHOS ´PARA O DIA 02/05/2018


DINHEIRO DO POVO BRASILEIRO ENVIADO POR LULA A CUBA E ANGOLA

Médico é agredido e ameaçado de morte dentro do INSS em Apucarana


PF faz operação nacional contra pedofilia e prende 18 pessoas


Assembleia de MG autoriza processo de impeachment de Pimentel


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 27/04/2018


Mais um presente para a cidade na gestão dos 100 anos, o primeiro STRIP MALL de Ourinhos, que gerará 80 novos empregos.


Polícia liga helicóptero apreendido com ex-piloto de deputado à morte de Gegê


Fundo Social promove o tradicional Yakissoba na FAPI em parceria com a APAE


PF investiga grupo suspeito de fazer cirurgias 'fictícias' e desviar verbas na BA


Projeto Agita Ourinhos ajuda mulheres a vencer a depressão e perder peso


Ministro israelense faz ameaça de morte a presidente sírio


Não permitir visita de médicos a Lula é ‘atitude mesquinha e cruel’, diz PT


Prefeitura de Ourinhos inicia a campanha de vacinação contra a gripe


Risco de ser vítima de crime violento cresce em 54 cidades paulistas


Palocci fecha acordo de delação premiada, diz jornal


Prisão do piloto do Helicoca confirma que tráfico é indústria em que chefões não são incomodados


'Escândalo das emendas infladas' tem indícios de cartel de entidades em SP


Polícia apreende helicóptero de facção criminosa e prende quatro em SP

VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 26/04/2018


POVO NÃO INTERESSA PRA LULA


BULLYING: Estudante quebra os dois cotovelos após levar rasteira de colega em escola de Goiatuba; polícia apura caso

Transferência de Lula pedida por PF antecipa discussão sobre cárcere definitivo


Bolsonaro e Alckmin estão empatados em SP, aponta pesquisa


Um passeio em Curitiba – e a manobra que tenta transformar Lula em preso político


Inventor dinamarquês que matou jornalista pega prisão perpétua


Inventor dinamarquês que matou jornalista pega prisão perpétua

ISTO É / AFP
Inventor dinamarquês que matou jornalista pega prisão perpétua

(11 ago) O inventor dinamarquês Peter Madsen - Scanpix/AFP/Arquivos

O inventor Peter Madsen foi condenado nesta quarta-feira à prisão perpétua pelo assassinato, precedido de abusos sexuais, de uma jovem jornalista sueca, Kim Wall, em seu submarino particular em agosto de 2017, perto de Copenhague.
O réu, de 47 anos, foi considerado culpado pelo júri do tribunal de Copenhague pelo assassinato com premeditação de Kim Wall, de 30 anos, e por tê-la agredido sexualmente e esquartejado seu corpo antes de jogá-lo ao mar.
O caso ganhou as manchetes e é único na história judicial dinamarquesa devido às circunstância, um crime realizado em um submarino, e pela personalidade de seus protagonistas: um inventor renomado, criador de foguetes e submergíveis, e uma jovem jornalista que pretendia entrevistá-lo.
Em outubro, Peter Madsen confessou que esquartejou e lançou ao mar o corpo da vítima, mas negou tê-la matado intencionalmente.
Até então, Madsen, de 46 anos, negava ter mutilado o cadáver e assegurava que a jornalista havia morrido acidentalmente, depois que uma escotilha de 70 quilos teria caído sobre a sua cabeça.
A necropsia não permitiu determinar as causas da morte de Kim Wall. As partes do corpo da vítima foram encontradas em diferentes lugares da Baía de Køge, que separa a Dinamarca da Suécia.
“O homicídio pode ter acontecido por degolamento ou estrangulamento”, afirmou a Procuradoria.
O procurador Kakob Buch-Jepsen pediu que a imprensa seja cuidadosa ao publicar as informações mais sensíveis “deste caso de rara violência, com consequências trágicas para Kim Wall e seus parentes”.
Em 10 de agosto, Madsen embarcou com Wall no “UC3 Nautilus”, submarino que ele mesmo projetou e construiu.
A jornalista queria fazer o perfil deste engenheiro autodidata obcecado pela conquista do mar e do espaço.
Madsen foi socorrido no dia 11 de agosto pela manhã, antes do naufrágio de sua embarcação, que admitiu ter afundado intencionalmente.
No dia seguinte, as autoridades emergiram o “Nautilus”, que foi rebocado até Copenhague para fazer investigações em seu interior.
Depois de uma intensa busca no mar, o tronco decapitado e esquartejado de Kim Wall foi encontrado em 21 de agosto por um ciclista na Baía de Køge.
No início de outubro, a Polícia anunciou ter encontrado a cabeça e as pernas da jornalista nas mesmas águas.
A acusação sustenta que Madsen matou Kim Wall com o objetivo de satisfazer uma fantasia sexual, para depois mutilar seu corpo.
ISTO É/AFP

VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 25/04/2018


Senador não pode concorrer à reeleição na metade do mandato, decide TSE


Senador vai ao Conselho de Ética contra Gleisi por vídeo em TV árabe


Senado aprova proposta que destina 30% da receita de multas de trânsito ao SUS


Foro privilegiado deve cair, diz Gilmar Mendes


Juíza do Distrito Federal faz audiência por WhatsApp


DELAÇÃO DA ODEBRECHT SOBRE INSTITUTO LULA TAMBÉM VAI SAIR DE MORO


Impeachment: golpe ou expulsão do clube dos ladrões?


SAE divulga Relatório Anual da Qualidade da Água consumida no Município


Mais espaço melhora o bem-estar e a produtividade de galinhas poedeiras


MP pede ‘prisão imediata’ de Azeredo, ex-presidente do PSDB


Suicídio de estudantes causa comoção nas redes sociais e reflexões em escolas


FORO PRIVILEGIADO BENEFICIA 58 MIL AUTORIDADES


Homofobia pode ser indício de atração pelo mesmo sexo


Justiça determina que INSS inclua trabalho exercido ainda na infância


Senador conclui parecer favorável a projeto que assegura em lei prisão após segunda instância

Estudo mostra retrato preocupante da realidade de crianças e jovens


Empréstimo de Aécio Neves? Do Blog do Amarildo


O fim do mistério de submarino que teria sido usado por nazistas para fugir para a América do Sul


FONTE RENOVÁVEL: Montadora faz pesquisas para produzir carros com energia solar

Adolescentes criam bengala para deficientes visuais utilizando a robótica


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 24/04/2018


PF pede remoção de Lula


Prefeitura promove semana de arte, juventude e sociedade


VOTOS SOBRE PRISÃO DE LULA SÓ SERÃO DIVULGADOS APÓS RESULTADO FINAL


População da Vila Perino, Itajubi e Cohab recebem sessões de cinema a céu aberto


Gleisi esperneia com veto a visita


Secretarias de Cultura e de Esportes promovem Festa Julina no estacionamento do Monstrinho


Menina de 11 anos é estuprada por 14 homens em Praia Grande, no litoral de SP


Moro confisca 26 bens do cofre de Lula e manda devolver à Presidência


O PT na “lata de lixo da história”


Lula, preso comum, tem de pagar 16 milhões de reais


15 Estados aderem à campanha que vende produtos sem impostos


Os 48 alvos da Lava Jato que podem perder o foro privilegiado


A “ingenuidade” de Aécio. Do Blog do Amarildo


Acidente entre caminhonete, carreta e ônibus deixa 6 mortos e 12 feridos em MG


Concurso da Polícia Civil: atenção para as próximas etapas


Mudanças na reforma trabalhista expiram hoje; veja como fica a lei


Brasil, Argentina, Paraguai, Colômbia, Chile e Perú deixam a Unasul


Estudantes brasileiros vencem principal torneio de robótica do mundo


Avatar do câncer


Polícia procura por chefe de clã cigano que estuprou, empalou e matou


Índia libera pena de morte para estupradores de crianças


Prefeito fingiu ser policial para estuprar criança, diz irmã de vítima


Menina de 9 anos é baleada por garoto de 10 após reagir a estupro


Alunos inventam composto que substitui descarga no vaso sanitário


Empresa alemã cria Fusca conversível de 210 cavalos


O STF e o cumprimento das penas — oremos!


Viagens de jatinho, flat de luxo, refeição de R$ 1.000… Gastos de senadores com cota parlamentar chegam a R$ 26,6 milhões em 2017


Cadeia Pública de Santo Antônio da Platina tem fuga seguida de rebelião, diz PM


URGENTE: FUGA EM MASSA DA CADEIA DE SANTO ANTONIO DA PLATINA-PR


Casal é preso com mais de 100 quilos de drogas em Ourinhos


Procuradoria-Geral Eleitoral Aceita Pedido De Cassação Do Registro Do PT


Urgente: MP abre inquérito contra Alckmin


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 23/04/2018


Imposto sindical: nem a Justiça respeita a lei


Aécio, aquele que ninguém conhece do PSDB. Do Blog do Amarildo


Lojas liberadas: nova decisão permite funcionamento do comércio no feriado


Dilema na fronteira


Oficial da PM investigado após morte de subordinada assume nova chefia


Pela primeira vez, equipe feminina de Ourinhos é campeã da Copa TV Tem de Futsal


Com fim do imposto obrigatório, sindicatos criam novos tributos


"Justiça" mantém contribuição sindical extinta pela reforma trabalhista


Concurso da PF é autorizado com 500 vagas. Edital sai até outubro


Lava Jato acha telefone da mulher de Gilmar no celular do ‘Rei do Ônibus’


Campos sofreu mais resistência do que Barbosa, diz presidente do PSB


Joesley Batista diz que pagou a Aécio R$ 50 mil de mesada por 2 anos


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 20/04/2018


Lucas Pocay prestigia final da 2ª Jornada Municipal de Matemática


PGR abre procedimento para investigar entrevista de Gleisi Hoffmann à Al Jazeera

CPIs 'engavetadas' na Alerj já suspeitavam de denúncias da Lava Jato há 15 anos

Motorista bêbado que causar acidente com vítima agora tem pena maior


Marina contra Darth Vader


Soltarão todos os velhos doentes?


Com Bolsonaros denunciados criminalmente, renunciarão aos Direitos Humanos?


Prefeito Lucas Pocay participará de painel no 3º Congresso Catarinense de Cidades Digitais


“Bolsonaro é criminoso”, ataca ROSA, pré-candidato ao governo de Goiás pelo PSOL


“Antes de deixar o poder, reduziremos a Venezuela a cinzas”


'Há provas suficientes de crime', diz Gaeco sobre ação contra fraudes em medicamentos

Teto de refeitório de escola infantil desaba e deixa 20 feridos em Agudos

Na internet, Aécio impede comentários de internautas em perfil oficial


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 19/04/2018


Após pedido de impeachment, Randolfe diz que há fatos novos e que Temer mentiu


Secretário de Transportes de SP, presidente do Metrô e mais 7 viram réus por compra de trens de R$ 615 milhões sem uso


Rede protocola novo pedido de impeachment de Michel Temer na Câmara


A senadores, Lula diz que seu maior sofrimento é estar isolado


Prefeito Lucas Pocay recepciona alunos da Emef Paulo Freire


Núcleo de futebol do Jardim das Paineiras treina alunos com técnica e disciplina


Juíza nega a Nobel da Paz vistoria em cela de Lula


SEST SENAT terá unidade em Ourinhos


Ação contra Gleisi por vídeo em defesa de Lula é protocolada na PGR


Em vídeo à rede Al Jazeera, Gleisi pede apoio por liberdade de Lula


URGENTE: TRF-4 REJEITA ÚLTIMOS EMBARGOS DE LULA


Diplomata brasileiro morre em Roma durante “jogo erótico”


Granadas que seriam jogadas em presídio na BA para matar detentos tinham pregos amarrados


Lava Jato deu origem a ações penais no STF contra seis senadores; saiba quais

COM A GESTÃO DOS 100 ANOS DE OURINHOS DO PREFEITO LUCAS POCAY, A CIDADE VEM GANHANDO MUITO EM DESENVOLVIMENTO


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 18/04/2018


URGENTE: AÉCIO NEVES VIRA RÉU NO STF


Caixa deixa de emitir CPF


PMs presos com "kit flagrante" em SP são expulsos da corporação


Alckmin é o favorito de investidores em pesquisa, seguido por Bolsonaro


Correios pedem para a união devolver R$ 3,2 bilhões


Denúncia detalha ameaça de Eduardo Bolsonaro a jornalista


Juiz autoriza depoimento de 42 testemunhas no processo do ‘quadrilhão do MDB’


Marco Aurélio será o relator da denúncia que acusa Jair Bolsonaro de racismo


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 17/04/2018


Estudo aponta potencial de cura para diabetes tipo 1; droga experimental regenera células produtoras de insulina

Barroso afirma nos Estados Unidos não ver risco de novo golpe militar no Brasil

O imbróglio dos fichas sujas - IRREGISTRÁVEIS


‘A democracia não está em risco no Brasil’, diz Moro


Dodge defende prisão após 2ª instância e redução do foro privilegiado para reforçar autoridade do Judiciário


Justiça manda Sírio pagar R$ 577 mil a médica acusada de vazar exames de Marisa

Justiça manda Sírio pagar R$ 577 mil a médica acusada de vazar exames de Marisa

ISTO É
Justiça manda Sírio pagar R$ 577 mil a médica acusada de vazar exames de Marisa

O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (E) conversa com sua esposa, Marisa Letícia, em São Paulo, no dia 10 de novembro de 2016 - AFP/Arquivos

A médica Gabriela Munhoz, demitida do hospital Sírio-Libanês por supostamente ter vazado exames da ex-primeira dama Marisa Letícia, ganhou uma ação na Justiça do Trabalho. A juíza Isabel Cristina Gomes, da 16ª Vara do Trabalho de São Paulo, reverteu a justa causa aplicada e condenou o hospital a pagar R$ 577 mil de indenização por danos morais à profissional.

O Sírio afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que “se manifestará na Justiça do trabalho, onde o processo está em tramitação”.
Gabriela teria divulgado detalhes sobre diagnóstico da ex-primeira-dama em um grupo de colegas no WhatsApp, no início de fevereiro de 2017. Marisa Letícia morreu no hospital localizado na região central de São Paulo, vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).
O site jurídico “Migalhas” teve acesso à decisão judicial, que corre em segredo de justiça. A juíza concluiu que as informações passadas pela médica a um grupo de Whatsapp, formado exclusivamente por médicos, não eram do hospital e não dependiam de acesso ao prontuário ou a outros exames realizados em Marisa.
Já a imagem do laudo realizado em outro hospital já estava circulando em várias redes sociais, segundo a sentença.

Na sentença, a magistrada levou em conta o horário em que o plantão da médica acabou, anterior ao horário de admissão de Marisa. Além disso, quando as mensagens foram publicadas, a internação já era pública.
“Um empregador diligente, cuidadoso, teria tomado todas as medidas necessárias para a efetiva e irresistível apuração dos fatos de maneira a não deixar dúvidas sobre a autoria, enquadramento legal da conduta e grau de culpa da autora”. considera Isabel Cristina Gomes. Ela afirma que houve culpa do hospital ao demitir a médica sem uma investigação mais apurada.
De acordo com o “Migalhas”, a médica juntou vasta documentação “comprovando as ameaças que injustamente recebeu, bem como a enorme repercussão junto à imprensa nacional na época dos fatos”.
Além da indenização, o Sírio-Libanês foi condenado a pagar verbas rescisórias, apuradas em liquidação da sentença. O hospital pode recorrer.M
ISTO É

TJ-SP investiga servidores que criticaram auxílio moradia dos juízes em redes sociais

Câmara pode passar à frente do STF em discussão sobre prisões na 2ª instância


Secretário de Segurança Pública de Ourinhos será um dos palestrantes do SmartCity Business America - Congress & Expo 2018


Prefeito Lucas Pocay participará de painel no 3º Congresso Catarinense de Cidades Digitais


STF julga nesta terça se Aécio vira réu por R$ 2 mi de Joesley


Após pedido da PM, manifestantes desocupam triplex atribuído a Lula em Guarujá, SP


Le Monde: Brasil, o eldorado dos rentistas


7ª Feira Artesanal de Ourinhos atrai mais de 12 mil pessoas e movimenta R$ 800 mil na economia local


Sem-Teto ocupam tríplex de Lula no Guarujá


Meio milhão de multa a quem não deixar entorno da prisão de Lula


Holocausto Sírio

Holocausto Sírio

ISTO É
Crédito: Manu Brabo
SOFRIMENTO Um pai carrega nos braços o corpo do filho morto: retrato de uma dor universal (Crédito: Manu Brabo)
Camila Brandalise    13/04/18

Novo ataque com armas químicas expõe os horrores de uma guerra genocida que em sete anos causou mais de 400 mil mortes e gerou 5 milhões de refugiados. Enquanto o conflito não dá sinais de trégua, crescem as ameaças de uma intervenção dos Estados Unidos.

Moradores da cidade de Duma, no subúrbio de Damasco, capital da Síria, foram surpreendidos por helicópteros na tarde do sábado 7. O ambiente foi tomado pelo som atemorizante de objetos lançados do alto, cortando o ar de maneira estridente. Seguiu-se um cheiro estranho. Bastaram minutos para que uma população já castigada pelos horrores da guerra que se arrasta há sete anos perceber que estava sendo vítima, novamente, de um ataque de armas químicas. Tomados pelo desespero, sem ter onde nem como se abrigar, aos alvos da ação genocida só restou correr aos gritos, anunciando a chuva letal que caía do céu. Vieram então o silêncio e o atordoamento gigantescos que se seguem imediatamente às tragédias, substituídos rapidamente por uma dor que corta a carne e o coração: hora de cada um contar seus próprios mortos. Ao todo, foram cerca de quinhentos atingidos. Mais uma vez, o povo sírio havia passado pela barbárie do holocausto. E a humanidade deixou registrada na sua história, de novo, imagens inesquecíveis de sofrimento como a que abre esta reportagem: um pai a carregar o corpo inerte do filho, uma espécie de retrato real da Pietà de Michelangelo, sintetizando em toda a sua brutalidade e singeleza o sentimento universal da dor de perder uma pessoa amada, especialmente um filho. Uma dor que é de todos nós.

A população síria vem sendo atingida por armas químicas desde 2013. São despejadas pelo governo do ditador Bashar al-Assad, que desde 2011 promove uma guerra civil contra seu próprio povo para se manter no poder. Em algumas ocasiões, os ataques são maciços a ponto de produzirem uma profusão de cenas chocantes que rodam o mundo. No mais recente, uma das mais difundidas foi um vídeo feito por uma equipe de resgate entrando em uma das casas, encontrando pela frente os corpos de crianças, entre elas um bebê, estendidos no chão, com rostos esbranquiçados e córneas queimadas. Na face dos que sobreviveram, em especial os pequenos, o olhar de absoluta incompreensão e fragilidade, como o registrado nos dois garotinhos flagrados em meio à ruínas e estampados na foto acima, após outro ataque. Ou de simples pavor, como o da menininha, que, no mesmo retrato, encolhe-se ao lado do batente do portão do prédio que ainda está de pé, como a esperar que alguém, de alguma forma, a resgate de tamanha destruição.

Foram situações muito parecidas, em plástica e horror, às vistas em 2013, em Damasco, logo após o uso de armas químicas por Assad. Naquele dia, outra cena que ficou para a história foi a dos corpos de crianças na calçada, apenas com os rostos descobertos para facilitar a identificação.
A guerra na Síria já causou mais de 400 mil mortes — o que a torna a maior crise humanitária do século 21. Por trás do conflito estão interesses complexos envolvendo, de um lado, a Rússia de Vladimir Putin, e, de outro, os Estados Unidos comandados por Donald Trump. “O jogo entre as superpotências continua sendo disputado no tabuleiro, mas quem morre são os sírios”, afirma Kai Kenkel, professor do Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e pesquisador do Instituto de Estudos Globais e Locais em Hamburgo, na Alemanha.
DRAMA SEM FIM As cenas de horror se repetem no território sírio. O registro da tragédia causada pelo ataque do sábado 7. A fragilidade, o medo e a incompreensão no rosto de crianças (na última foto) atingidas na mesma guerra, que já dura sete anos
Há muito envolvido na disputa pelo domínio de influência na área, desde a marcação de posições geopolíticas estratégicas em uma região tradicionalmente conflagrada até ganhos econômicos importantes para as potências e países de dimensões menores, como o Irã, aliado da Rússia, e Israel, parceiro dos EUA. Hoje, particularmente, o ganho de posição dentro do território sírio tem relevância adicional na luta entre Putin e Trump, cuja relação é mais conturbada a cada dia.
O conflito entre as duas potências militares se reflete no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), órgão que poderia tentar por fim ao massacre na Síria mas se encontra sob a mesma medição de forças desse enorme jogo de xadrez. Na terça-feira 10, foi colocada em votação uma resolução que previa autorizar a investigação sobre o ataque feito em Duma no sábado — Assad continua negando que tenha sido o autor e afirmou se tratar de uma encenação. Para que fosse aprovada, no entanto, deveria ter pelo menos nove votos favoráveis e nenhum contra entre os países que detêm poder de veto: EUA, França, Reino Unido, China e Rússia. Putin, porém, foi contra a investigação. “O poder de veto da Rússia na ONU vai continuar travando isso”, afirma Kenkel. “Os países têm um discurso de que a guerra deve acabar mas, em termos de geopolítica, querem que continue.” Mesmo com toda a indignação mundial, o que se viu dos líderes das grandes nações foi um aumento da temperatura diplomática, ameaças aqui e ali, mas nenhuma medida concreta contra o massacre ao qual o povo sírio está sendo submetido.
Entre Rússia e EUA assistiu-se à costumeira troca de bravatas. Horas depois do ataque, Trump manifestou-se pelo Twitter: “O presidente Putin, a Rússia e o Irã são responsáveis pelo apoio ao animal Assad.” Afirmou ainda que tomaria uma decisão importante em represália ao ocorrido e, na quarta-feira 11, deu a entender que havia decidido por uma resposta militar contra Síria, a exemplo do que fez há um ano, quando despejou sobre o país 59 mísseis. “A Rússia promete derrubar todos e quaisquer mísseis lançados contra a Síria. Prepare-se, Rússia, porque eles estão chegando, bacanas, novos e ‘inteligentes’! Vocês não deveriam ser parceiros de um animal que usa gás para matar o seu povo e gosta disso”, afirmou Trump.
Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova respondeu pelo Facebook, escrevendo em seu perfil: “Mísseis inteligentes devem ser lançados contra terroristas, não contra governos legítimos”. Oficialmente, o Kremlin limitou-se a afirmar que não faz diplomacia via Twitter e tentou tirar do governo Assad a responsabilidade pela atrocidade do sábado. O que esperar da resposta americana? Para o pesquisador Rodger Shanahan, especialista em Política Internacional do Lowy Institute, para que tenha algum efeito, a intervenção agora precisará ser mais substancial do que aquela feita há um ano. “Os EUA precisam aumentar o custo para a Síria de violar convenções sobre uso de armas químicas”, afirma. O resultado pode ser um horror ainda maior.
Uso de armas químicas, do nazismo à Síria
Ataques contendo substâncias químicas são considerados crimes de guerra e uma violação grave aos direitos humanos segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora condenado, esse tipo de arma foi usado em diversos conflitos históricos, desde a Primeira Guerra Mundial.
Durante o domínio alemão nazista (1933-1945), elas foram utilizadas para assassinar milhões de judeus e outras pessoas consideradas inimigas do regime. Uma substância chamada Zyklon B — nome de registro de uma mistura de ácido cianídrico, cloro e nitrogênio — era aspergida em grandes galpões para onde eram levados os prisioneiros de Adolf Hitler. Mais recentemente, durante a Guerra do Vietnã (1959-1975), os EUA fizeram uso do agente laranja, um desfolhante que, jogado dos aviões, fez centenas de vítimas vietnamitas.
ISTO É

Maia diz que governo federal está falido e critica Meirelles


A conciliação, dessa vez, não será possível


PGR denuncia deputado Jair Bolsonaro ao Supremo por crime de racismo


CÁRMEN LÚCIA MARCA PARA DIA 2 DE MAIO JULGAMENTO DE FORO PRIVILEGIADO


Prefeito Lucas Pocay já cortou quase metade dos cargos e nova reestruturação deve diminuir ainda mais


EUA, Reino Unido e França lançam ataque contra a Síria em resposta a suposto uso de armas químicas

Colaboradores do AME Ourinhos participam de palestra sobre acolhimento e cidadania do público LGBT


VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 16/04/2018


TJ-SP suspende novas nomeações de assistentes parlamentares


Governador vai passar o comando da Polícia Civil de SP para a secretaria de justiça, diz Jonas


MINISTRO TEM FILHA DESEMBARGADORA NOMEADA POR DILMA ROUSSEFF


NESTE MOMENTO EUA, França e Reino Unido bombardeiam Síria (2)


ATAQUE IMINENTE À SÍRIA - Trump anuncia ação militar na Síria em resposta a suposto ataque químico


Trump sobe o tom contra a Rússia e avisa que mísseis 'bacanas, novos e inteligentes' estão chegando à Síria


Um partido transformado em seita


Justiça acata denúncia contra 12 acusados de fraudes em licitações


A saúde do atraso: uma alternativa ao SUS autoritária e seletiva


Quase 300 pacientes começam a ser chamadas pelo Programa para o mutirão de cirurgia ginecológica