7ª Feira Artesanal tem o dobro de expositores, shows culturais, parquinho e praça de alimentação


7ª Feira Artesanal tem o dobro de expositores, shows culturais, parquinho e praça de alimentação 
        

         A 7ª edição da Feira Artesanal começou na quinta-feira (05) e se estende até domingo (08), no pavilhão da AIOR, recinto da Fapi. Promovida pela Prefeitura de Ourinhos por meio do Comtur  (Conselho Municipal de Turismo), o evento este ano traz série de novidades aos visitantes da região. Com cerca de 100 expositores, programação cultural, parquinho para as crianças e praça de alimentação, a organização espera receber mais de 15 mil visitantes em 4 dias de evento. O Pavilhão da Aior abre das 10h às 21h.

Ao todo a Feira tem 94 estandes com trabalhos de artesões de patchwork, bordado em madeira, em ferro, pintura em vidro e artesanatos diversos de todo o Brasil. O Prefeito Lucas Pocay compareceu à abertura do evento e afirma que a Feira Artesanal já está consolidada como evento cultural do Estado de São Paulo, atraindo milhares de visitantes para a cidade. Para ele, este crescimento expressivo só tem sido possível devido ao envolvimento de pessoas dispostas a colocar Ourinhos em um novo patamar.


         “O artesanato é um mercado que incentiva o empreendedorismo das pessoas que, através da delicadeza de trabalhar com a matéria prima, desenvolvem um trabalho que lhes oferecem o poder de compra e venda, consequentemente, ampliando a geração de renda de muitas famílias. O Brasil possui mais de 10 milhões de artesões, isso quer dizer que o artesanato tem deixado de ser uma renda extra ou um hobby e passou a ser uma alternativa de emprego, fortalecendo a economia nacional. Nós vamos continuar dando esse suporte para que Ourinhos se destaque cada vez mais”, fala.


         A presidente do Comtur, Christiane Bombonatti, destaca que o evento contribui para que Ourinhos seja cada vez mais um polo turístico. Christiane comemora as boas parcerias para concretizar a realização do evento.


         “Neste ano, além do dobro de expositores, temos muitas caravanas de artesões de outras cidades que vieram visitar a feira. Estamos com excelentes apresentações culturais que serão realizadas no decorrer do evento, além de já sentir uma movimentação financeira expressiva com a chegada desses expositores e visitantes de fora que estão lotando os hotéis, frequentando os restaurantes, etc. Isso é muito positivo. E dessa forma, todos saem ganhando, das grandes às pequenas empresas”, afirma.

         Expositores esperam divulgar trabalho e fazer boas vendas


A expectativa dos expositores que participam da 7ª Feira Artesanal é de, além de fazer boas vendas, divulgar seus trabalhos. A facilidade para adquirir um estande e colocar o nome em destaque, para eles, foi de extrema importância para a participação na feira.
         A artesã Cláudia Cristina Ogawa saiu de Santo Antônio da Platina para expor seus trabalhos em tecido de patchwork. No ano passado, Cláudia esteve na feira como visitante pela primeira vez e se planejou para participar como expositora na edição deste ano. “Essa é a minha primeira participação. Minhas expectativas são as melhores. Estamos animadas porque até o momento, da recepção até o início da feira, o movimento já tem sido muito bom”, conta.


         A artesã ourinhense Eloísa Dora Costa montou sua exposição de velas e sabonetes artesanais na feira. A expositora vem se preparando há meses para levar seus melhores trabalhos para o evento. “Eu produzo este tipo de artesanato e alugo para buffets e festas de aniversário, de casamento, inclusive tenho loja em que comercializo este tipo de produto. A minha expectativa aqui na feira é divulgar meu trabalho e alcançar o maior número possível de novos clientes. Venho me preparando há meses colhendo abacate na minha chácara, alecrim, lavanda que tenho em casa, para fazer esses sabonetes aromáticos. Fui muito bem recepcionada e estou feliz de estar aqui”, revela.


         A expositora Márcia Valentim participa pela segunda vez da Feira Artesanal. A artesã já sentiu a diferença do novo modelo de evento e credita o sucesso da feira aos esforços do poder público e da organização.
         “Tenho certeza que um evento nas mãos de pessoas dispostas a fazer acontecer é fundamental para o sucesso. Este ano já está muito bom. Ano que vem, se continuar assim, será melhor ainda. Porque dessa forma todos vendem, divulgam seus trabalhos e saem satisfeitos, animados para o próximo ano”, diz.


Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.