Sorteio define as residências de 112 famílias no Recanto dos Pássaros III


Sorteio define as residências de 112 famílias no Recanto dos Pássaros III



         A Prefeitura de Ourinhos promoveu na manhã de quarta-feira (28), no CSU (Centro Social Urbano), o segundo sorteio das casas do Recanto dos Pássaros III. Nesta etapa foram definidas as residências de 112 mutuários, sendo 34 para idosos e pessoas com necessidades especiais. Ao todo, 448 unidades habitacionais abandonadas pela gestão passada estão sendo reformadas para serem entregues aos moradores. No primeiro sorteio, realizado em dezembro do ano passado, 56 famílias puderam saber o número da casa e o nome da rua em que vão morar. Ao longo deste ano pelo menos mais dois sorteios devem ocorrer para distribuir as residências aos 280 mutuários restantes.


         Segundo Felipe Ramos, Secretário da Assistência Social, que representou o Prefeito Lucas Pocay no evento, a entrega definitiva das casas do Recanto dos Pássaros III só depende da vistoria de técnicos do Banco do Brasil e da ação da Construtora Construplan em solicitar a legalização do loteamento onde as residências foram construídas.

         “Hoje mais uma etapa está sendo cumprida. A Prefeitura está agilizando os trâmites que cabem a ela e o Prefeito Lucas Pocay vem cobrando constantemente o banco e a construtora para agilizarem os processos burocráticos para as famílias entrem definitivamente nas casas”, diz.
         Os mutuários das casas do Recanto dos Pássaros III aguardam a entrega das chaves desde maio de 2015, mas por falha política da administração passada, a construção, que estava praticamente pronta, foi abandonada. Por conta disso as residências foram alvo de depredações e danificadas pela ação do tempo.
         A autônoma Aparecida Fatiam de Souza, de 48 anos, é uma das mutuárias que aguarda há anos a chave da casa própria. “Há muito tempo espero. Fomos sorteados em 2013 e ainda estamos esperando. Agora que fomos procurados para saber onde vamos morar. Antes, a administração passada não falava nada, tinha época que as casas estavam bastante adiantadas, depois foram abandonadas e agora Lucas está reformando. O Prefeito Lucas está com uma administração boa. Tem bastante coisa para mudar ainda, afinal de contas a cidade estava sem administração há muitos anos, mas o trabalho está muito bom no asfalto, saúde e educação”, enumera.
         As casas do recanto dos Pássaros III tiveram as obras retomadas após trabalho incessante da administração municipal em Brasília. 
         A dona de casa Gisele Aparecida Lisboa, de 33 anos, não vê a hora de ter as chaves de sua casa em mãos.
         “Espero há cinco anos pela minha casa. Eu pago aluguel e agora com a casa própria vou poder ajudar melhor minhas duas filhas, colocar esse dinheiro do aluguel dentro de casa”, afirma.
         A aposentada Maria Aparecida Zaneto, de 56 anos, é outra mutuária que quer sair do aluguel. Com Ourinhos oferecendo serviços públicos de qualidade, Maria diz que só falta a casa própria para ficar mais feliz.
         “Estou ansiosa. Estão terminando de arrumar as casinhas e agora vamos saber a casa exata em que vamos morar para depois entregarem pra gente”, relata.

         Segundo o setor Jurídico da Prefeitura de Ourinhos, todas as providências de responsabilidade do município já foram adotadas para que as casas sejam entregues às famílias, restando apenas o trâmite burocrático entre a construtora e o Banco do Brasil. Quem explica é o Secretário Adjunto de Obras e Infraestrutura Adalberto Teixeira.
         “A Prefeitura se empenha para entregar rápido. Está em contato direto com o banco e a construtora para que liberem essas casas aos moradores e firmem um contrato. Existe uma burocracia, mas o Banco do Brasil e a construtora estão sanando essas pendências. A prefeitura pressiona para que as casas sejam entregues parcialmente às famílias que já tem a casa definida para morar. O banco diz que isso pode ser feito. Pedimos então que façam uma vistoria e liberem as casas para esses moradores”, diz.
         A Prefeitura de Ourinhos já enviou à Construplan um ofício solicitando agilidade na regularização do loteamento. Uma cópia do documento foi enviada ao Ministério das Cidades, em Brasília, a fim de que possa atuar de alguma forma para ajudar no processo.
A intenção é entregar todas as residências até o final deste ano, no entanto, mesmo que as reformas sejam finalizadas, as unidades não podem ser entregues sem que a construtora faça a regularização do loteamento.


Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.