Governo paulista garante que PM vai atuar para desobstruir vias



Governo paulista garante que PM vai atuar para desobstruir vias

ISTO É/AGÊNCIA BRASIL
 São Paulo - O secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa, fala sobre o programa Redenção, de combate ao crack e atendimento ao usuario  (Rovena Rosa/Agência Brasil)
O secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa (Rovena Rosa/Agência Brasil)

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, disse hoje (25), que a liminar obtida pela prefeitura de São Paulo para garantir o abastecimento de serviços essenciais na cidade, apesar da paralisação dos caminhoneiros, será cumprida pela Polícia Militar.

Ontem, atendendo a um pedido da prefeitura de São Paulo, o juiz José Gomes Jardim Neto determinou a “imediata cessação dos atos de protesto que impeçam, obstaculizem ou prejudiquem a saída, transporte ou entrega de combustível para serviços essenciais do município de São Paulo”. Caso a medida não seja obedecida, o juiz fixou o pagamento de multa diária no valor de R$ 1 milhão.

“As liminares da prefeitura serão cumpridas. A ideia é que os serviços essenciais da cidade e do estado [de São Paulo] sejam mantidos. A Polícia Militar irá atuar. Estamos providenciando a desobstrução das vias quando elas estão totalmente interditadas”, disse o secretário a jornalistas. “O trabalho da Polícia Militar vai ser no sentido de garantir a manutenção da ordem pública”, ressaltou.
Questionado se a Polícia Militar também vai atuar para desobstruir vias que não estejam totalmente interditadas, o secretário disse que “vai depender de cada uma das situações”. O secretário disse, inclusive, que a polícia pode usar a força para desobstruir as vias, caso seja necessário.
“O ideal é que passemos agora a desobstruir totalmente as vias. Isso é a situação ideal. Só que a gente, com toda essa situação existente, já há quatro dias enfrentando essa situação, não tivemos ainda nenhuma situação de conflito. Nossa ideia é garantir a ordem pública sem emprego da força. Se tiver que usar a força, será o uso progressivo da força, que é a forma adequada de atuação da Polícia Militar”, falou o secretário.
Em coletiva na tarde de hoje para informar os números de criminalidade no estado, o secretário limitou a quantidade de perguntas feitas por jornalistas e disse que está em contato permanente com o governador para avaliar a paralisação dos caminhoneiros. “Vou me encontrar com o governador [Márcio França] em breve e nós estamos absolutamente sintonizados com tudo o que está acontecendo. Quero tranquilizar a população no sentido de que o policiamento do estado inteiro está sendo realizado sem qualquer tipo de problema”, afirmou.
O secretário disse ainda que não há problema de abastecimento dos veículos policiais. “Estabelecemos estratégias para garantir que nossas viaturas das polícias Civil e Militar tenham combustível para enfrentarmos esse momento. E isso já está garantido”, disse o secretário. “Em São Paulo, não devemos ter problema grave de quebra da ordem”, falou.
Segundo o secretário, as viaturas policiais têm capacidade para se manter em operação normal por alguns dias. “Já adquirimos combustível extra. Temos capacidade para passar alguns dias nessa situação, sem maiores problemas”, falou ele.
Mágino disse ainda que a Polícia Militar fez escolta de caminhões para garantir combustível nos aeroportos paulistas. “Os aeroportos de São Paulo não pararam porque realizamos o comboio de caminhões de combustível para o abastecimento das aeronaves”, garantiu. Ele disse ainda que não faltará apoio da Polícia Militar de São Paulo também nas emergências municipais, para “que o comboio de caminhões de combustível abasteçam as garagens municipais”.
ISTO É

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.