Alesp e Câmara de SP têm 804 servidores que receberam acima do teto em abril

Alesp e Câmara de SP têm 804 servidores que receberam acima do teto em abril
Por Roberto Paiva e Murilo Silva, SP2, São Paulo
06/06/2018

Alesp aprovou na terça-feira proposta que aumenta teto salarial da Casa de R$ 21,6 mil para R$ 30,4 mil. Câmara diz que fez 303 cortes de supersalários; Alesp nega ter salários acima do teto.

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) e a Câmara Municipal da capital paulista tem, juntas, 804 servidores que receberam acima do teto salarial em abril deste ano, segundo levantamento feito pelo SP2. Na Alesp, foram 550 acima do teto de R$ 21.631,05 , enquanto na Câmara, foram 254 funcionários com salário acima do teto municipal de R$ 24.165,87 .


A Câmara Municipal informou em nota que, desde o ano passado fez 303 cortes de salário com base no teto, o que representa uma economia de R$ 32 milhões por ano. A Alesp nega que tenha funcionários ganhando acima do teto.


Este grupo de servidores com supersalários inclui justamente os que serão mais beneficiados com o aumento do teto salarial aprovado nesta terça-feira (5) na Alesp e com a medida da Câmara que poderá aumentar em até R$ 16 mil as gratificações na Casa.


Na Assembleia Legislivativa, foi aprovado com 67 votos favoráveis e 4 contrários o aumento do teto dos atuais R$ 21.631,05 para R$ 30.471,11 até 2022. A estimativa, segundo o texto aprovado pela Alesp, é que o impacto seja de R$ 909 milhões no orçamento do estado após quatro anos. O aumento passa a valer a partir de abril de 2019, com reajuste escalonado.


Governo considera aumento 'injusto'


Nesta quinta-feira, em nota, o governo do estado disse que ''considera injusto um aumento nessa proporção'', ''pois privilegia servidores muito bem pagos e que já recebem o teto''. O governo considera ainda que ''a medida causará uma expansão na folha de pagamento do estado e poderá prejudicar todas as demais carreiras a não terem aumento".


Na Câmara, foi aprovada no mês passado uma lei que reajusta as gratificações por função, que são uma espécie de bônus para os funcionários mais bem pagos da Casa e podem aumentar os salários em até R$ 16 mil. A medida precisa ser sancionada ou vetada pelo prefeito.


Na Câmara, o teto salarial é de R$ 21 mil. No entanto, em abril, foram pagos salários de até R$ 53 mil. Na Casa, também há vários casos de salários muito fora da realidade do mercado, como o motorista que ganha R$ 13 mil por mês e o encanador que ganha mais de R$ 15 mil.

G1

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.