Brasileiro assedia crianças com termos homofóbicos na Copa do Mundo da Rússia



COPA 2018

Brasileiro assedia crianças com termos homofóbicos na Copa do Mundo da Rússia

Reprodução/Internet

Torcedor do Brasil fez com que garoto repetisse termos de cunho sexual

Um torcedor brasileiro, que acompanha a Copa do Mundo na Rússia, gravou e divulgou um vídeo no qual induz duas crianças estrangeiras a repetir termos homofóbicos. Durante o assédio, apenas um dos garotos segue as orientações do rapaz e fala palavrões em português.

O brasileiro pediu para que um dos garotos estrangeiros repetisse as seguintes frases: “Eu sou filho da puta”, “eu sou viado” e “eu dou para o Neymar”. O torcedor insistiu e conseguiu as respostas conforme orientou o garoto.

Outros casos

São vários os casos de assédio praticados por brasileiros na Rússia durante a Copa do Mundo. No primeiro vídeo de maior repercussão, turistas brasileiros que foram ao país europeu assediam uma pessoa que não fala português. Os homens cantam música em alusão à cor do órgão sexual da mulher, que aparece nas filmagens sem entender bem o que estava ocorrendo. 

Dos seis homens que aparecem no vídeo com a mulher estrangeira, o primeiro identificado foi o advogado Diego Valença Jatobá, ex- secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco. Ele exerceu o cargo durante a gestão do prefeito Pedro Serafim (PDT) e já foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), em 2015. Diego descumpriu o artigo 89 Lei de Licitações (Lei Federal nº 8.666/93) e firmou, sem licitação, 12 contratos ilegais para contratar atrações artísticas em nome da prefeitura de Ipojuca.

O segundo identificado foi o tenente da Polícia Militar de Santa Catarina Eduardo Neves é um dos homens brasileiros que aparecem em vídeo em que assediam uma mulher estrangeira na Rússia. A identidade foi confirmada pela Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), na manhã desta terça-feira.

Moradores de Jaicós, no Piauí, identificaram nessa terça-feira mais um homem que aparece no vídeo. Trata-se do empresário Luciano Gil Mendes Coelho. O jornal piauiense O Dia revelou que ele já foi preso em uma operação da Polícia Federal que desarticulou esquema de desvio de dinheiro público. A fraude ocorreu em licitações da prefeitura de Araripina, em Pernambuco, no ano de 2015, quando Luciano ocupou cargo de inspetor do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA-PI).

Demissão

Outro caso de grande repercussão aconteceu com dois brasileiros assediando três mulheres na Rússia. Eles pedem às mulheres, que não falam português, para repetirem a frase ‘eu quero dar a b... para vocês’. Ao final, os brasileiros comemoram a fala das moças.

Um dos envolvidos foi identificado e acabou demitido da empresa onde trabalhava. A companhia aérea Latam confirmou nesta quarta-feira a demissão do supervisor de aeroportos Felipe Wilson. 

Em nota, a Latam afirma que “repudia veementemente qualquer tipo de ofensa ou prática discriminatória e reforça que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa”. A empresa afirma, ainda, que “tomou as medidas cabíveis, conforme seu código de ética e conduta”.

Caso com torcedor de Montes Claros
Em novo caso, um brasileiro, teoricamente de Montes Claros, em Minas Gerais, gravou e divulgou o próprio assédio a uma mulher vestida com uniforme de funcionários da Copa do Mundo. No vídeo, ele pede para que ela repita palavras de cunho sexual.

O torcedore pede para a garota repetir a seguinte frase: “Você vai dar para todo mundo de Montes Claros”. Logo depois, ele sugere à menina mais uma fala: “Montes Claros, melhor b* do mundo”. A garota, sem ter noção do teor das palavras que dizia, repetiu as frases aos risos.

COPA DO MUNDO SUPERESPORTES

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.