Ônibus movido a energia solar completa 80 mil quilômetros rodados

Ônibus movido a energia solar completa 80 mil quilômetros rodados

3 de agosto de 2018   DIÁRIO DO TRANSPORTE

Projeto foi coordenado pela Universidade Federal de Santa Catarina, em parceria com empresas do setor

Ônibus movido a energia solar completa 80 mil quilômetros rodados

Projeto foi coordenado pela Universidade Federal de Santa Catarina, em parceria com empresas do setor
JESSICA MARQUES
O primeiro ônibus totalmente elétrico, com tecnologia brasileira e baterias alimentadas por energia solar, já completou 80 mil quilômetros rodados neste mês de agosto. O projeto do veículo, chamado eBus, foi desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa Estratégica em Energia Solar da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), em parceria com empresas do setor.
A operação do eBus teve início em dezembro de 2016, em Santa Catarina, no trajeto de 25,3 quilômetros entre dois campus da UFSC, no Sapiens Parque, em Canasvieiras, no norte da ilha, e o Campus Central.
Inicialmente, foram feitas quatro viagens que somavam pouco mais de 200 quilômetros por dia. A recarga das baterias é feita no laboratório da UFSC, no Sapiens Parque.
O eBus tem carroceria Marcopolo Torino Low Entry, os motores elétricos são da WEG e o chassi é um Mercedes-Benz O-500U Elétrico.
O ônibus é parte de um projeto denominado “deslocamento produtivo com veículos elétricos alimentados por energia solar fotovoltaica”. Com isso, além de ser um veículo, trata-se também de um ambiente de trabalho, com poltronas, duas mesas de reunião, tomadas 220V e USB, Wi-Fi e ar-condicionado, segundo informações da UFSC.
O serviço regular com o ônibus passou a ser realizado em março de 2017 e agora opera com cinco viagens por dia, o que significa 52 quilômetros por viagem do Sapiens Parque à UFSC e retorno, cerca de 5 mil quilômetros por mês.
Ainda de acordo com informações da universidade, o projeto foi conduzido pelo coordenador do Laboratório FOTOVOLTAICA/UFSC, que contou com um financiamento de R$ 1 milhão pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI, atual MCTIC). As empresas WEG, Marcopolo, Mercedes e Eletra também atuaram em parceria com a universidade.
Como ninguém pode viajar em pé no ônibus, a intenção é de que o tempo de viagem torne-se um período produtivo, para trabalho ou estudos. Por isso a ideia das mesas que simulam um escritório.
Em novembro de 2017, o veículo atingiu a marca de 40 mil quilômetros rodados em Florianópolis.
Jessica Marques para o Diário do Transporte

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.