Polícia Federal faz operação em Blumenau contra fraudes no INSS



Polícia Federal faz operação em Blumenau contra fraudes no INSS

O MUNICÍPIO BLUMENAU

Operação Sangrando combate irregularidades na concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez
Colaborou Bianca Bertoli
A Polícia Federal e a Secretaria da Previdência deflagraram na manhã desta quinta-feira, 30, a Operação Sangrando, que combate concessões irregulares de auxílio-doença e de aposentadoria por invalidez em cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.
Ao todo, 44 policiais federais e dois servidores da Inteligência Previdenciária cumprem 11 mandados Judiciais nas cidades de Blumenau, Cruz Alta (RS) e Tupanciretã (RS). São 10 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária contra um médico perito lotado em Blumenau.
Ao menos quatro policiais chegaram às 6h20 à agência da Previdência Social em Blumenau e saíram antes das 10h. Todas as perícias do dia tiveram de ser desmarcadas. As demais atividades do INSS em Blumenau estão ocorrendo normalmente.
“Eu estava esperando o horário para ser atendido quando uma viatura chegou e desceram quatro policiais. Depois veio outro carro e mais três pessoas apareceram, duas com farda”, relata o auxiliar administrativo Fábio Gelien, que terá de voltar outro dia para realizar a consulta, antes agendada para às 7h desta quinta-feira.

Perícia do INSS

As investigações, iniciadas em 2017, levaram à identificação de um perito médico previdenciário, lotado na agência da Previdência Social de Blumenau, que realizava atendimentos a pessoas específicas fora da agenda oficial.
A reportagem apurou que o médico já foi detido e está sendo levado para Itajaí. O nome dele não foi divulgado até o momento.
Em ação combinada com esses pretensos beneficiários, concessões de benefícios que eram feitas com a inserção de dados falsos no sistema da Previdência.
Segundo a PF, muitos desses falsos beneficiários mantinham algum tipo de inter-relacionamento, sendo que, ao menos, 16 pessoas pertencem a um mesmo grupo familiar. Além dos mandados judiciais, na operação foi decretada pela Justiça Federal a suspensão do exercício da função pública do médico, além do sequestro de todos os seus bens, com o fim de garantir a reparação dos danos já causados aos cofres públicos – calculado em quase R$ 3,5 milhões.
Também esta sendo realizada a interrupção dos pagamentos dos benefícios previdenciários fraudulentos, descobertos no curso da investigação. Os envolvidos serão indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário, corrupção ativa e passiva, inserção de dados falsos no sistema da Previdência e associação criminosa.
O nome da operação “Sangrando” é uma conotação ao prejuízo causado aos cofres públicos, que sangram com esse tipo de fraude.
O MUNICÍPIO BLUMENAU

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.