Marina Silva: ‘A proposta de segurança do Bolsonaro foi desmoralizada em um ato contra ele mesmo’



Marina Silva: ‘A proposta de segurança do Bolsonaro foi desmoralizada em um ato contra ele mesmo’

JOVEM PAN     21/09/2018

Candidata participou de mais uma entrevista da série de sabatinas com os presidenciáveis promovida pelo Pânico

Em recuperação cerca de duas semanas após o ataque à faca sofrido em campanha por Juiz de Fora, Minas Gerais, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) voltou a ser alvo de duras críticas de seus concorrentes. Aconteceu na quinta-feira (20) no debate exibido na TV Aparecida, aconteceu de novo nesta sexta (21) em entrevista de Marina Silva (Rede) ao Pânico da Jovem Pan. A ex-ministra foi questionada sobre a ascensão do candidato nas mais recentes pesquisas e disse que suas propostas – ou melhor, a falta delas – farão com que ele não tenha tantos votos assim.
“O que acontece é que meu discurso requer um compromisso. Fazer um discurso dizendo que vai resolver o problema da segurança entregando revólver às pessoas parece um caminho rápido. Mas sei que as pessoas estão começando a colocar a mão na consciência e ver que a proposta do Bolsonaro foi desmoralizada em um ato contra ele mesmo. Ele tinha vários policiais armados em volta, segurança pessoal armado em volta. E uma pessoa com uma arma branca chegou e o atingiu em um ato trágico e inaceitável”, declarou.
“A violência não vai resolver o problema. Em um primeiro momento, as pessoas indignadas acham que esse pode ser o caminho mais fácil. Mas temos que ter propostas com propósito (…). Até o dia 7 tenho certeza que os eleitores vão surpreender o Brasil e o mundo”.
Em outro momento da conversa, ao ser perguntada sobre a imagem “frágil” que alguns brasileiros podem ter dela, voltou a usar a chapa do candidato, mais especificamente seu vice, General Hamilton Mourão, para fazer uma comparação.
“Não me incomodo com esse ‘rótulo’ porque conheço minha fortaleza. E ela não é física. Sou persistente, tenho ideais”, contou, relatando algumas dificuldades pelas quais já passou em sua vida. “Isso é ser fraca? Me ensina então o que é fortaleza? É estar lá e roubar? Ou é dizer o que o vice do Bolsonaro disse? Que mulheres e avós que criam seus filhos e netos com dificuldade são indústria de delinquentes? Olha, o momento é difícil. Os valores não podem ser desqualificados. A situação é perigosa. É o momento dos ideais”, completou.
JOVEM PAN

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.