Padres australianos pedem ao Papa que celibato seja opcional



Padres australianos pedem ao Papa que celibato seja opcional

NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL


Padres australianos pedem ao Papa que celibato seja opcional

No entanto, a Conferência Episcopal se opõe à iniciativa

pós a Igreja Católica na Austrália ser alvo de um escândalo de pedofilia envolvendo seus religiosos, os padres australianos apresentaram uma proposta para que o papa Francisco autorize o celibato opcional e o retorno dos padres casados ao ministério, embora a Conferência Episcopal se oponha à iniciativa. "Esperamos que os bispos ouçam os sacerdotes e as pessoas, porque não há como voltar atrás. A proposta facilitará a conversão para uma nova Igreja, uma Igreja mais humilde, uma Igreja mais compassiva", disse o presidente do Conselho dos Presbíteros, James Clarke.

A ideia surgiu no âmbito da investigação da Comissão Nacional sobre as respostas das instituições a numerosos casos de pedofilia. Depois de dois anos de pesquisas em igrejas, instituições de caridade, governos locais e escolas, os dados indicam que 7% dos padres australianos foram acusados de cometer abusos sexuais desde 1980, totalizando 4.444 denúncias.
O Conselho Nacional dos Sacerdotes, depois de uma conferência, apresentou suas propostas à Assembleia Plenária da Igreja Católica, pedindo que fosse permitido o retorno dos padres que eram casados.
"A maioria dos padres é a favor do celibato opcional e abre o sacerdócio aos homens casados", disse Clarke.
"Muitos de nossos ex-padres são casados e gostariam de voltar à Igreja se pudessem", acrescentou.
Mas a Conferência Episcopal recusa esta medida e defende a obrigação do celibato como "uma prática positiva e por um longo tempo consolidada na Igreja". Segundo Clarke, "se a Conferência Episcopal Australiana disser ao Papa Francisco que existem muitas comunidades remotas que são negadas a Eucaristia e que tivemos a oportunidade de ordenar os homens casados adequados, acreditamos que Sua Santidade diria que sim".
Durante uma reunião de bispos, em Poznan, na Polônia, o prefeito da Congregação de Bispos, o cardeal canadense Marc Ouellet, disse que há uma necessidade da "participação de mais mulheres na formação de sacerdotes para o ensino e discernimento dos candidatos".
No ano passado, depois de cinco anos de investigação, a Comissão Real da Austrália que apura abusos sexuais infantis recomendou que a Igreja Católica derrubasse a obrigatoriedade do celibato para seus clérigos, uma vez que tal condição poderia aumentar os riscos da prática de crimes de pedofilia. (ANSA)
NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.