Socorristas acham sobrevivente de naufrágio na Tanzânia



Socorristas acham sobrevivente de naufrágio na Tanzânia

O DIA     22/09/2018

Número de mortos, porém, aumentou para 218

Pessoas estiveram neste sábado às margens do Lago Vitória, enquanto as equipes de resgate buscavam outras vítimas do naufrágio na Tanzânia
A embarcação transportava um número ainda desconhecido de passageiros. Sua lotação oficial permitida era de 101 pessoas. A carcaça do barco está a apenas algumas dezenas de metros da ilha de Ukara, destino final da balsa.
"Lamentamos a morte de 218 pessoas, das quais 172 já foram identificadas por familiares e 112 reivindicadas por seus parentes para enterrá-las", declarou o ministro dos Transportes, Isack Kamwelwe, em entrevista coletiva transmitida pela televisão pública tanzaniana TBC One.
Na mesma coletiva, o governador da região de Mwanza (noroeste), John Mongella, disse que foi enviado para o local da tragédia um "dispositivo" para "virar" a balsa e acelerar as buscas.
As operações de busca terminam neste sábado, anunciou o comandante do Exército tanzaniano, general Venance Mabeyo.
Testemunhas e sobreviventes deram duas versões diferentes da catástrofe, mas parece evidente que a sobrecarga da embarcação está na origem da tragédia.
Segundo algumas pessoas, vários passageiros se deslocaram para a proa, diante da proximidade do cais. O movimento teria desequilibrado a embarcação. Outras testemunhas relataram que o capitão, distraído com o celular, não fez corretamente a manobra de aproximação e, ao tentar resolver o problema, fez um movimento brutal que levou ao naufrágio.
Em outros acidentes ocorridos na região dos Grandes Lagos no passado, constatou-se o excesso de lotação, que levou aos naufrágios, e o grande número de pessoas que não sabiam nadar, o que provocou um número alto de mortos.
Presidente fala em 'negligência' 
O presidente tanzaniano, John Magufuli, que falou em "negligência", ordenou na sexta-feira à noite "a prisão de todas as pessoas envolvidas na gestão da balsa".
"Os responsáveis serão severamente punidos", prometeu.
A balsa "MV Nyerere" cobria o trajeto entre a ilha de Ukara e a de Ukerewe, onde fica a localidade de Bugolora. Os moradores de Ukara costumam ir lá em busca de mantimentos.
As bandeiras estavam a meio pau neste sábado em todo país, depois que o presidente declarou luto nacional, ontem, por quatro dias, em homenagem às vítimas.
O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, apresentou suas condolências "às famílias das vítimas, ao governo e ao povo da República Unida da Tanzânia".
O DIA

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.