Dória e Márcio França disputam 2º turno para o governo de São Paulo



Dória e Márcio França disputam 2º turno para o governo de São Paulo


Doria e França avançam na disputa pelo governo de SP

Os candidatos João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) vão disputar no segundo turno o cargo de governador do Estado de São Paulo pelos próximos quatro anos. A informação foi confirmada pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo).
O resultado deste domingo (7) foi fruto de uma virada de França sobre o candidato do MDB, Paulo Skaf (MDB), na reta final da apuração. O nome de Doria, por sua vez, figurou na liderança desde a abertura das urnas.
A decisão se Skaf ou França enfrentaria Doria no segundo turno da disputa só foi fechada com a apuração de mais de 99,8% das urnas.
Ao longo de toda a corrida presidencial, as pesquisas apontavam um segundo turno entre os candidatos do PSDB e do MDB e crescimento de França apontou nos últimos dias para a real possibilidade de ele disputar a vaga no segundo turno. 
João Agripino da Costa Doria Júnior concorreu a um cargo eletivo pela primeira vez em 2016, quando venceu a disputa pela prefeitura de São Paulo no primeiro turno após uma campanha em que se declarava como “não político”.
Nascido em 1957, Doria é filho do publicitário e ex-deputado federal João Doria e da empresária Maria Sylvia Dias Doria. Casado e pai de um filho, ele é também fundador do Grupo Doria.
Atual governador de São Paulo, França é formado em direito e início a trajetória política como líder estudantil. Foi vereador de São Vicente (SP) entre 1989 e 1997 e depois foi prefeito da cidade entre 1997 e 2005. Foi também eleito deputado estadual por três vezes antes de assumir, em 2010, o cargo de vice-governador de São Paulo.
França nasceu em 1963 na própria cidade de São Vicente, é casado com Lúcia França desde 1986 e pai de dois filhos, Caio e Helena.
Com o avanço de Doria e França ficam na pelo caminho da disputa os candidatos Paulo Skaf (MDB), Luiz Marinho (PT), Major Costa e Silva (DC), Professora Lisete (PSOL), Marcelo Cândido (PDT), Professor Claudio Fernando (PMN), Rodrigo Tavares (PRTB), Toninho Ferreira (PSTU), Rogerio Chequer (Novo) e Lilian Miranda (PCO).

R7

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.