Gaeco prende delegado e 2 policiais pelos crimes de tortura em MT


OPERAÇÃO CRUCIATO
Gaeco prende delegado e 2 policiais pelos crimes de tortura em MT
FOLHAMAX
gaeco-edisonpick.jpg
Corregedoria da Polícia Civil participa de operação

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), composto por membros do Ministério Público, polícia Civil e Polícia Militar, e a Promotoria de Justiça de Colniza estão, neste momento, dando cumprimento a três mandados de prisão preventiva em Colniza. A ação faz parte da "Operação Cruciato".
Os alvos são o delegado de Polícia, Edison Pick, e dois investigadores do município: Woshiton Kester Vieira e Ricardo Sanches.
As investigações estão em curso e apuram a prática de crimes de tortura cometidos pelos implicados na comarca de Colniza. Os cumprimentos dos mandados de prisão contam com o apoio e acompanhamento integral da Corregedoria Geral de Polícia Judiciária Civil do Estado de Mato Grosso.
'Cruciatus' é o nome de uma maldição presente nos livros e filmes do personagem Harry Potter. Conhecida como Maldição da Tortura, é relatada na literatura dos livros como uma das magias mais poderosas e sinistras do mundo bruxo.
A magia, que causa dores físicas e psicológicas em quem é atingido, é um dos feitiços preferidos dos personagens Lord Voldemort e dos comensais da morte.
OUTRO LADO
Por meio de nota, a Corregedoria da Polícia Civil informou que deu todo apoio ao Gaeco para realizar a operação. O órgão não teve acesso ao teor das investigações, mas já adiantou que abrirá procedimento disciplinar contra o delegado e os dois investigadores.

NOTA PÚBLICA
A Corregedoria Geral da Polícia Judiciária Civil prestou apoio ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), na manhã desta terça-feira (16), no cumprimento a mandados de prisão em desfavor de um delegado de polícia e dois investigadores lotados na Delegacia de Colniza. 
As ordens judiciais foram requisitadas pelo Ministério Público de Colniza. 
A Corregedoria da PJC não teve acesso prévio ao teor da denúncia da Promotoria, no entanto, deu início às diligências para apurar os fatos no âmbito administrativo disciplinar.

FOLHAMAX

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.