Palestra sobre Transtorno do Espectro Autista celebra um ano do Ambulatório do Bebê


Palestra sobre Transtorno do Espectro Autista celebra um ano do Ambulatório do Bebê



A Prefeitura de Ourinhos promoveu na manhã de quinta-feira (18), no Teatro Municipal, a palestra sobre TEA (Transtorno do Espectro Autista). Especialistas da área da saúde capacitaram os servidores do município a identificar nas crianças os sintomas que possam indicar o transtorno mental e encaminhá-las para tratamento. O evento celebrou um ano da inauguração do Ambulatório do Bebê, idealizado pelo Prefeito Lucas Pocay para tratar as crianças que necessitam de cuidados especiais.


A pediatra do Ambulatório do Bebê, Lurdes Carvalho Leme, afirma que o Transtorno do Espectro Autista é cada vez mais comum na sociedade, por isso a importância em alertar a população e preparar os profissionais da saúde para essa realidade.
“O TEA aumenta a cada dia, está muito comum. Não sabemos a origem e o motivo desse aumento, mas sabemos como tratar, por isso é muito importante uma equipe especialidade e preparada. A palestra vai orientar as pessoas a ter um olho clínico para reconhecer a criança diferente e aprender a lidar com essa diferença”, declara.

Para a capacitação foi convidada uma equipe de profissionais composta por fonoaudióloga, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta e psicóloga sob o comando da neuropediatra e neurofisiologista Ellen Balielo Manfrim.


“É uma equipe multidisciplinar que trabalha com autismo. O objetivo é realizar diagnóstico precoce e falar sobre as terapias que atualmente são mais efetivas e têm reconhecimento internacional. Nosso foco é que o público da palestra saiba suspeitar ou reconhecer uma criança com Transtorno do Espectro do Autismo”, diz Ellen.



A pediatra Daniela Souza deu algumas orientações para identificar alguns sintomas que podem indicar autismo. Segundo ela, quanto mais precoce for o diagnóstico, melhor será a definição do tratamento para a criança alcançar um potencial de desenvolvimento.
“Até o primeiro mês de vida, por exemplo, a criança colocada a 30 centímetros do rosto da mãe ou do pai deve fixar o olhar na pessoa. A criança deve emitir, até o final segundo mês, outros sons que não sejam apenas o do choro. Por volta dos seis meses a criança deve buscar objetos e levar à boca. Caso isso não ocorra existe um atraso e a criança deve ser levada a um pediatra”, exemplifica Daniela.


A Secretária da Saúde, Cássia Palhas, abriu o evento destacando o trabalho desenvolvido pelo Prefeito Lucas Pocay para a humanização no atendimento á Saúde, com capacitações frequentes dos servidores.
“A palestra de hoje é extremamente importante para melhorar o atendimento ao autista. Ourinhos está preparando e capacitando seus profissionais para melhorar ainda mais o atendimento”, diz Cássia, lembrando que as crianças que precisam de atenção especial são atendidas no Ambulatório do Bebê, que completou um ano de inauguração dia 11 de outubro.
“No ambulatório temos uma equipe composta de pediatra enfermeira, auxiliar de enfermagem, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e fonoaudióloga. Mensalmente promovemos palestras para esclarece dúvidas das mães sobre amamentação e para orientar a fazer estimulação cognitiva, física e psicomotora”, informa Cássia.
Dentre outros procedimentos realizados pelo Ambulatório estão a vacina BCG, agendamento da primeira consulta do recém-nascido e da mãe pós-parto, teste do pezinho e visita domiciliar para continuidade das orientações aos pais.


Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.