Pensionistas do INSS podem realizar o saque do FGTS



Pensionistas do INSS podem realizar o saque do FGTS

MIX VALE


Pensionistas do INSS podem realizar o saque do FGTS. Os trabalhadores que se aposentam pelo INSS podem sacar o FGTS que acumularam ao longo da vida. E quem optar por continuar no mercado com carteira assinada, na mesma empresa em que atuava antes da concessão do benefício pela Previdência, terá direito de retirar mensalmente os novos depósitos feitos pelo empregador.
O saldo do FGTS é composto por créditos mensais equivalentes a 8% do valor do salário do trabalhador. Se, por exemplo, o aposentado que se mantém na ativa recebe R$1,5 mil, terá R$120 depositados todo mês no fundo. O segurado também pode esperar passar um ano para retirar a quantia. Ou seja, teria um total de R$1.560 após 12 meses, incluindo a parcela referente ao 13º salário.
De acordo com a Caixa Econômica Federal, que administra o fundo, se esse mesmo trabalhador que se aposentou e está trabalhando, mas mudou de emprego, perderá o direito ao saque mensal do FGTS. Segundo as regras de retirada, neste caso, o segurado seguirá as normas que são iguais aos demais trabalhadores para poderem tirar o dinheiro do fundo para financiar casa própria, tiver doença grave ou ter sido demitido sem justa causa.
O pedido para sacar os valores mensais deve ser feito em uma agência da Caixa Econômica. o trabalhador tem a opção de agendar a retirada mensalmente, com o dinheiro sendo transferido para a conta que o segurado indicar ao banco, seja da própria Caixa ou de outra qualquer instituição financeira.
Depósito todo dia 7
As empresas fazem o recolhimento do depósito dos 8% na conta do FGTS todo dia 7 do mês subsequente. A transferência para a conta-corrente ou saque pelo trabalhador leva, em média, cinco dias.
Ao entrar com o pedido de retirada, o trabalhador precisa apresentar documentos, entre eles o que comprove a aposentadoria concedida pelo INSS; carteira de trabalho que contenha o registro da contratação pela empresa em que ele se aposentou e continua atuando; e identidade com foto.
O saque poderá ser feito todo mês nos caixas eletrônicos do banco estatal. Para valores acumulados de até R$ 3 mil, a retirada é feita nos terminais eletrônicos de atendimento com Cartão Cidadão e senha. Também dá para sacar nas casas lotéricas ou correspondentes bancários da Caixa com o Cartão Cidadão, com senha e documento oficial com foto.
Dá para tirar dinheiro em casa lotérica
Para quem tem até R$ 1,5 mil, o saque será liberado também nos caixas eletrônicos, mas o trabalhador terá que usar senha do Cartão Cidadão (o cartão não é necessário) e o número do PIS, que é o mesmo do NIS (Número de Identificação Social) ou NIT (Número de Identificação do Trabalhador).
Se preferir, o segurado pode ir direto a boca do caixa na agência da Caixa. Só que é necessário levar o número do PIS, NIS ou NIT e um documento oficial com foto.
Conforme a Caixa, o saldo do fundo é corrigido em 3% ao ano, mais a variação da Taxa Referencial (TR), a remuneração que fica abaixo do que rende a poupança. Desde o ano passado, o governo vem distribuindo um rendimento a mais aos trabalhadores que corresponde a metade do lucro do fundo. Em 2018, houve pagamento de 1,72% sobre o saldo de dezembro do ano passado.
Fonte O Dia
. Os trabalhadores que se aposentam pelo INSS podem sacar o FGTS que acumularam ao longo da vida. E quem optar por continuar no mercado com carteira assinada, na mesma empresa em que atuava antes da concessão do benefício pela Previdência, terá direito de retirar mensalmente os novos depósitos feitos pelo empregador.
O saldo do FGTS é composto por créditos mensais equivalentes a 8% do valor do salário do trabalhador. Se, por exemplo, o aposentado que se mantém na ativa recebe R$1,5 mil, terá R$120 depositados todo mês no fundo. O segurado também pode esperar passar um ano para retirar a quantia. Ou seja, teria um total de R$1.560 após 12 meses, incluindo a parcela referente ao 13º salário.
De acordo com a Caixa Econômica Federal, que administra o fundo, se esse mesmo trabalhador que se aposentou e está trabalhando, mas mudou de emprego, perderá o direito ao saque mensal do FGTS. Segundo as regras de retirada, neste caso, o segurado seguirá as normas que são iguais aos demais trabalhadores para poderem tirar o dinheiro do fundo para financiar casa própria, tiver doença grave ou ter sido demitido sem justa causa.
O pedido para sacar os valores mensais deve ser feito em uma agência da Caixa Econômica. o trabalhador tem a opção de agendar a retirada mensalmente, com o dinheiro sendo transferido para a conta que o segurado indicar ao banco, seja da própria Caixa ou de outra qualquer instituição financeira.
Depósito todo dia 7
As empresas fazem o recolhimento do depósito dos 8% na conta do FGTS todo dia 7 do mês subsequente. A transferência para a conta-corrente ou saque pelo trabalhador leva, em média, cinco dias.
Ao entrar com o pedido de retirada, o trabalhador precisa apresentar documentos, entre eles o que comprove a aposentadoria concedida pelo INSS; carteira de trabalho que contenha o registro da contratação pela empresa em que ele se aposentou e continua atuando; e identidade com foto.
O saque poderá ser feito todo mês nos caixas eletrônicos do banco estatal. Para valores acumulados de até R$ 3 mil, a retirada é feita nos terminais eletrônicos de atendimento com Cartão Cidadão e senha. Também dá para sacar nas casas lotéricas ou correspondentes bancários da Caixa com o Cartão Cidadão, com senha e documento oficial com foto.
Dá para tirar dinheiro em casa lotérica
Para quem tem até R$ 1,5 mil, o saque será liberado também nos caixas eletrônicos, mas o trabalhador terá que usar senha do Cartão Cidadão (o cartão não é necessário) e o número do PIS, que é o mesmo do NIS (Número de Identificação Social) ou NIT (Número de Identificação do Trabalhador).
Se preferir, o segurado pode ir direto a boca do caixa na agência da Caixa. Só que é necessário levar o número do PIS, NIS ou NIT e um documento oficial com foto.
Conforme a Caixa, o saldo do fundo é corrigido em 3% ao ano, mais a variação da Taxa Referencial (TR), a remuneração que fica abaixo do que rende a poupança. Desde o ano passado, o governo vem distribuindo um rendimento a mais aos trabalhadores que corresponde a metade do lucro do fundo. Em 2018, houve pagamento de 1,72% sobre o saldo de dezembro do ano passado.
Fonte O Dia
MIX VALE

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.