Praças de pedágio do Paraná começam a ser inspecionadas por interventores



Praças de pedágio do Paraná começam a ser inspecionadas por interventores

BEM PARANÁ
Praças de pedágio do Paraná começam a ser inspecionadas por interventores

06/10/2018   


As praças de pedágio das seis concessionárias de rodovias que formam o Anel de Integração receberam a visita neste sábado (06) dos coronéis interventores nomeados pela governadora Cida Borghetti. Neste primeiro momento, farão vistorias nas praças da Rodonorte (São Luís do Purunã); Caminhos do Paraná (Relógio), da Ecocataratas (Cascavel/São João); Viapar (Marialva) e Econorte em Jataizinho. 
De acordo com o coronel Rocha, interventor da Rodonorte, a visita deste sábado foi para conferir e se inteirar sobre como é feita a contagem de veículos e a forma como se arrecada o pedágio dos usuários.  “Existe um sistema informatizado que faz a contagem automática dos veículos, gerando uma arrecadação. Nós vamos reunir essas informações em um relatório que será emitido para a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística”, disse.
O objetivo da vistoria é coletar informações sobre o sistema de contagem das cabines de pedágio e dos sistemas de liberação automática. As empresas receberam prazo de 24 horas úteis para apresentar suas argumentações em relação à ação proposta pelo Governo do Paraná.
“Desde o primeiro contato houve uma boa recepção e a concessionária foi bastante receptiva, mostrando que vão colaborar com a intervenção”, afirmou Rocha. 
A medida foi definida pelo Comitê de Intervenção, em reunião nesta sexta-feira (05) no Palácio Iguaçu. O grupo é formado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, Departamento de Estradas de Rodagens do Estado (DER), Procuradoria Geral do Estado, Controladoria Geral do Estado (CGE) e Casa Militar. Ele será responsável pelo acompanhamento e orientação dos trabalhos e deverá se reunir diariamente.
O coronel afirmou, ainda, que nesta segunda-feira os interventores irão se reunir com o comitê, por videoconferência, para o detalhamento das informações.
O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Abelardo Lupion, lembrou que o Estado tem uma representação sendo avaliada pela Justiça Federal pedindo a redução das tarifas de pedágio, bem como o bloqueio de bens das concessionárias. A medida leva em conta atos apurados pela Operação Integração, derivada da Lava Jato, e delações já homologadas pelo Tribunal Regional Federal (TRF4).
“A partir dos documentos entregues pelas concessionárias, o juiz já pode analisar o caso e determinar medidas em relação ao valor das tarifas”, disse Lupion.
INTERVENÇÃO - A intervenção nas concessões foi determinada pela governadora Cida Borghetti na quinta-feira. Ela atendeu recomendação da CGE e da PGE. Desde fevereiro, quando foi deflagrada a Operação Integração I, a CGE acompanha as ações do Ministério Público Federal em relação ao programa estadual de concessões. O órgão fez uma avaliação sobre o controle das operações das empresas e concluiu que existiam muitas falhas a serem corrigidas.
Após a Operação Integração II, realizada na semana passada, a CGE teve acesso a mais informações, como a homologação de colaborações de pessoas presas pela força-tarefa Lava Jato. Com isso, viu elementos necessários para que o Estado tomasse a atitude de intervenção, seguindo todo o rito e os prazos legais necessários. 
INTERVENTORES - Foram designados seis oficiais da reserva da Polícia Militar para atuarem como fiscais do Estado nas concessionárias e impedirem a continuidade dos atos irregulares.Foram nomeados interventores os coronéis Luiz Rodrigo Larson Carstens, na Ecovia (Curitiba); Guilherme Teider Rocha, na Rodonorte (Ponta Grossa); Marco Aurélio Paredes Czerwonka, Caminhos do Paraná (Irati); Jurandi André, na Viapar (Maringá); Rubens Guimarães de Souza, na Econorte (Londrina); e o tenente-coronel Sérgio Almir Teixeira, na Ecocataratas (Cascavel).
BEM PARANÁ

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.