Nova proposta de reforma estuda equiparar previdências pública e privada em dez anos

Nova proposta de reforma estuda equiparar previdências pública e privada em dez anos
Irineu Machado, gerente-geral de Notícias   UOL
Uma nova proposta de reforma da Previdência está nas mãos dos integrantes do atual e do futuro governo para análise. A proposta foi elaborada pelo especialista na área Paulo Tafner e é capitaneada pelo economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, e propõe uma revolução no sistema previdenciário. Entre suas medidas, estão a criação de uma renda mínima para idosos (benefício universal sem limite de contribuição ou comprovação de renda), a instituição da Previdência dos militares, a criação de fundos de pensões nos estados e a previsão de equiparação das previdências pública e privada em pouco mais de uma década.
 

Em Brasília, os gabinetes do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), do filho dele, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) e do deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) viraram alvo de "peregrinação". Somente em um dia, cerca de 80 pessoas procuraram os gabinetes. Há desde pedidos ajuda para os assuntos mais diversos até auto-indicação para ministérios, relata a jornalista Luciana Amaral.
 

Lorenzoni entregou ontem uma lista com os primeiros 22 indicados a comporem a equipe de transição entre os governos em reunião com o atual titular da pasta, Eliseu Padilha. Foi o primeiro encontro entre os dois, que aconteceu no Palácio do Planalto, em Brasília. Os nomes estão mais concentrados na área econômica. Há 50 cargos disponíveis para a equipe de transição de governo, mas Bolsonaro não é obrigado a preencher todos.
 

Na composição de fusões de ministérios e novas pastas, pelo menos 15 ministérios do novo governo já estão definidos. 

UOL

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.