PF inicia 2ª fase de operação contra sonegação e corrupção em SP



PF inicia 2ª fase de operação contra sonegação e corrupção em SP

JOVEM PAN

A Receita Federal já identificou e lançou como devidos R$ 80 milhões sonegados, referentes a transações fraudulentas. A pedido da PF, a Justiça Federal determinou o bloqueio de valores em nome dos investigados no montante de R$ 12 milhões, além de bens imóveis.

A Policia Federal deu inicio nesta terça-feira (27) à segunda fase da Operação Descarte. São cumpridos dois mandados de prisão preventiva e nove de busca e apreensão. A ação foi deflagrada no estado de São Paulo, na capital e em São Carlos.
Iniciada em março deste ano, a Descarte investiga um esquema de compras fraudulentas por parte de um escritório de advocacia que mantinha empresas fantasmas. Batizada de Chiaroscuro, esta etapa tem como objetivo interromper a continuidade da prática de crimes e obter mais provas.
De acordo com as investigações, as empresas simulavam a venda de produtos e serviços e, ao receber os pagamentos e emitir notas fiscais sobre os negócios fictícios, elas distribuíam os valores para contas no Brasil ou no exterior, ou realizavam a entrega de dinheiro em espécie aos envolvidos no grupo.
Um dos investigados, segundo a PF, é um funcionário público que supostamente utilizou os serviços do grupo para lavar dinheiro. A propina teria sido recebida, após ele facilitar a sonegação de impostos de terceiros.
A Receita Federal já identificou e lançou como devidos R$ 80 milhões sonegados, referentes a transações fraudulentas. A pedido da PF, a Justiça Federal determinou o bloqueio de valores em nome dos investigados no montante de R$ 12 milhões, além de bens imóveis.
Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, corrupção ativa e passiva e associação criminosa.
JOVEM PAN

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.