Proibida de cobrar pedágio em Jacarezinho, Econorte vai reativar praça de Cambará



RODOVIAS CONCESSIONADAS

Proibida de cobrar pedágio em Jacarezinho, Econorte vai reativar praça de Cambará

BONDE

Proibida judicialmente de cobrar pedágios na praça instalada em Jacarezinho (norte Pioneiro), com "extensão" no distrito de Marques dos Reis, a Econorte deve reativar a antiga praça de cobrança instalada entre os municípios de Cambará e Andirá, na BR-369. Entretanto, como existe a necessidade de adequações no local, ainda não há prazo para a atividade recomeçar. 

O site da Econorte já traz os valores que serão praticados na praça a ser reativada: R$ 14,80 para automóveis da categoria 1 e 2; R$ 22,20 para os de categoria 3 e R$ 29,60 para categorias 4 e 5 - motocicletas, furgões, caminhonetes, caminhões e ônibus pagam preços diferentes, que podem ser consultados na tabela de tarifas no site da empresa. Atualmente, funciona no local um ponto de apoio para a concessionária, mas as cabines de cobrança estão fechadas e não há cancelas instaladas. 

A praça, instalada em trecho de pista simples – diferentemente das outras em Jataizinho e Jacarezinho –, era o local de cobrança original no contrato de concessão, de 1996, mas houve uma mudança em um dos aditivos firmados com o governo do Paraná que empurrou as cancelas para mais perto da divisa com São Paulo. A decisão do juiz federal Rogerio Dantas Cachichi determina a suspensão dos aditivos, com a redução dos valores cobrados pela Econorte em 26,75% das tarifas nas outras praças da concessionária, o início em 30 dias da construção do Contorno Norte de Londrina e o bloqueio de R$ 1 bilhão da empresa e suas controladoras.

Luís Fernando Wiltemburg e Viviani Costa
Grupo Folha

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.